Aveiro: “PS faz o exercício do impossível”

2248
Assembleia Municipal, Aveiro (arquivo).
Dreamweb 728×90 – Video I

Ribau Esteves criticou em tom duro o PS por retomar a ideia de usar um metro de superfície em Aveiro.

O presidente falava na última Assembleia Municipal quando se discutia a proposta de revisão do Programa de Ajustamento Municipal (PAM), que vai permitir um reforço de investimento.

Ribau Esteves apontou contradições nas propostas dos socialistas. “O PS entende que deve investir menos e pagar mais rápido para chegar ao rácio 1.5. O líder do PS ao mesmo tempo coloca mais investimento para nos rirmos todos. Ao saudar os autocarros elétricos, diz que devíamos investir em metro de superfície. O PS tem a noção da dimensão do investimento do metro, da população ? Diz estas coisas para inglês ver, para enganar os aveirenses. A única reação é desprezo e riso. O dinheiro não é elástico e o PS faz o exercício do impossível”, acusou.

Rui Alvarenga, do PAN, colocou “muitas reservas” por não perceber “a estratégia” da maioria e “a visão” da Câmara no tocante “à tipologia do investimento” preconizado para o município. E para dar um exemplo, disse que “não escandaliza” a proposta do PS de criar um metro de superfície, como “algo que tem de se começar a perspetivar”, num contexto territorial mais alargado, ainda para mais quando o presidente da edilidade lidera a comunidade intermunicipal.

A resposta de Ribau Esteves serviu para insistir nas criticas a forma como os socialistas retomaram o assunto, apontando falta de bases técnicas. “Quando se fala de metro, e essa é uma conversa que podemos ter aqui um dia destes, falar disso é de quem não percebe nada de metro de superfície, nem sabe o que é o investimento, ou a massa populacional que é preciso, as densidades populacionais, comparar Aveiro com o Porto a esse nível é para a gente se rir à gargalhada, quer dizer, não tem sentido nenhum”, referiu.

Discurso direto

“Temos uma estratégia realista, ambiciosa e com uma lógica clara e cristalina. Parceira do investimento privado. Temos de fazer um investimento brutal nas zonas industriais, a principal zona industrial carece de acessibilidades em condições. Não vamos tratar disto primeiro ? Obviamente que sim. A rua principal de Cacia fica inundada de águas pluviais. As pessoas lá fora não acreditam, mas Aveiro tem muito disto”.

“Temos um projeto para fazer um multiusos que está pronto, está lá e custou uma fortuna. Mas hoje devemos colocar quase 40 milhões de euros, não atualizámos o projeto, à frente de coisas básicas que temos de fazer, qualificação do recinto de feiras, tratamento do estádio, qualificação urbana, rede viária, etc. Isto faz sentido? Na nossa opinião não faz. Já estamos a diligenciar para repensar aquele projeto, mas não no horizonte desde mandato. Impensável” – Ribau Esteves.

Artigos relacionados

PS de Aveiro diz que autocarros eléctricos pecam por tardios e pede estacionamentos fora de zonas inundáveis

Aveiro: PSD “acompanha” pedido do PS para antecipar equilíbrio financeiro