Aveiro: Junta de Freguesia de São Jacinto vai normalizar gestão em 2024

1425
Edifício-sede da Junta de Freguesia de S. Jacinto, Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

O presidente da Câmara de Aveiro deixou “a certeza absoluta” que em 2024 a Junta de Freguesia de São Jacinto irá voltar a ter acesso a financiamentos municipais, que foram suspensos para evitar penhoras de credores.

Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o jornal online NotíciasdeAveiro.pt gratuito.

Ribau Esteves falava na última reunião da Assembleia Municipal durante o período dedicado à discussão das Grandes Opções do Plano (GOP) e Orçamento para o próximo ano.

Siga o canal NotíciasdeAveiro.pt no WhatsApp.

A sessão foi aproveitada pelo presidente da Junta de Freguesia para lembrar o quão “importante é para a vida autárquica” o momento  em causa, mas especialmente para São Jacinto. “Passado um ano das eleições intercalares, hoje, pela primeira vez, posso discutir este documento e votar na qualidade de presidente. Bem sei que até há pouco tempo era normal as ausências nestas votações do presidente da Junta”, referiu Arlindo Tavares.

Na sequência da renúncia da anterior maioria PS, manietada por dificuldades financeiras e outros problemas internos, a coligação PSD-CDS-PPM ganhou o ato eleitoral de 13 de novembro de 2023 com “o compromisso assumido de devolver à freguesia a uma nova esperança e novo rumo”, recordou o atual presidente. Passaram-se “365 dias de desafios penosos, de dúvidas, de cobranças, desânimo e algum desespero”, admitiu Arlindo Tavares ao referir-se à herança encontrada, que levou “alguns até a desacreditar”.

O líder da maioria PSD-CDS-PPM na Junta garantiu, contudo, que mantém “a mesma determinação” para retomar a normalidade necessária. “Lutamos todos dias para devolver à freguesia a dignidade que merece e sempre mereceu”, enfatizou.

São Jacinto conta os dias para se  associar-se às freguesias do concelho com “projetos em desenvolvimento ou a iniciar” pela Câmara que, mesmo “em ano de transição” de fundos europeus “não trava investimentos”, que a Junta deseja acompanhar, uma vez que “quem ficar para trás, não consegue recuperar o tempo perdido”. Por isso, o autarca assinalou alguns dos projetos que devem avançar em 2024, como a construção da casa mortuária, as obras de renovação em quatro fogos de habitação social, a primeira fase da intervenção no complexo desportivo, que será nas piscinas, o parque de campismo ou, entre outras atividades, o Festival Dunas de São Jacinto.

Determinante para a Junta é voltar a beneficiar do contrato interadministrativo de delegação de competências a celebrar com o município. Numa freguesia com “escassos recursos”, a ajuda financeira em causa “representará mais de 50%” da receita da Junta, que procura, dessa forma, recuperar do “descalabro financeiro deixado pela gestão do PS”. As GOP representam “a esperança” para “normalizar a vida da Junta”, retomando “serviços fundamentais e necessários” a São Jacinto, que “deixará de notícia pelas más condutas”, vincou Arlindo Tavares.

Num comentário à intervenção, Ribau Esteves deixou uma garantia: o plano de atividades e orçamento do próximo ano já “não é tanto de esperança, mas de certeza absoluta que 2024 será de regresso pleno à equipa que somos mas ainda não temos no exercício pleno. Para lá estamos a caminhar e um dia explicámos isso”, concluiu.

Artigo relacionado

Aveiro: Câmara assume gestão do complexo desportivo de S. Jacinto por troca de 1,3 milhões de euros para saneamento financeiro da Junta local

Publicidade e serviços

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais no jornal online NotíciasdeAveiro.pt, assim como requisitar outros serviços. Consultar informação para incluir publicidade online.

Comercio 780