Aveiro / Assembleia Municipal: “Declaração de voto” em época de Natal

1027
Edifício sede da Assembleia Municipal de Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

“Declaração de voto” – Espaço de opinião semanal das bancadas dos partidos representados na Assembleia Municipal de Aveiro.

  • Tema livre

“Este ano que agora termina permitiu-nos refletir sobre a importância da Comunidade Local, em que nos inserimos. A nossa Cidade soube adaptar-se e reagir às condicionantes advindas da pandemia. Durante este ano, assistimos a uma Câmara com capacidade de resposta, elaborando e dinamizando um Programa de Ação de Apoio à Atividade Social e Económica , com um montante previsto de cinco milhões de euros, para o ano 2020 e de oito milhões de euros para o ano 2021. O referido programa assume uma importância determinante no âmbito do combate à COVID-19 e aos seus efeitos, desde logo estabelecendo medidas de estímulo e apoio à atividade económica da Cidade, de apoio às pessoas com mais dificuldades, de apoio e promoção do comércio local, de cooperação com as IPSS, com as Corporações dos Bombeiros, os Lares, as Associações e as dez Juntas de Freguesia.
Assistimos ainda pelo segundo ano consecutivo, à distinção de Aveiro como melhor concelho do Pais, entre outras distinções, reforçando-se a candidatura apresentada à Capital Europeia 2027, iniciando-se obras determinantes como é exemplo a obra da Avenida, permitindo que Aveiro tenha conquistado maior relevância no panorama nacional.
Acreditando que continuará a saber responder positivamente à pandemia e manterá a sua rota de crescimento e projeção, formulo votos que o ano novo que se advinha seja próspero e profícuo. Assim como, que celebremos este Natal, com elevado sentido de responsabilidade, compromisso e muita saúde, paz e amor, os principais ingredientes para umas Festas Felizes! Votos de um Santo e Feliz Natal e um próspero 2021!” – Catarina Barreto (PSD)

“No dia internacional da Solidariedade Humana, 20 de dezembro, praticamente no Natal, a encerrar o ano, o que será mais relevante sublinhar, querendo evidenciar algo positivo que 2020 nos trouxe, destaco a solidariedade.
Recordo, a este propósito, as palavras do Presidente do PS Aveiro, e Vereador na Câmara, Manuel Oliveira de Sousa, que escreveu (“Afastados é que estamos mais próximos” ) logo no início da crise pandémica: “ Não é o melhor momento para todos sabermos de tudo.
A hora é de agir, dentro das funções especializadas de cada um. E a grandíssima maioria de nós dá o maior contributo para todos, estando isolado e abstendo-se de disseminar qualquer contaminação – até na opinião!
Vivemos uma enorme prova de humanidade.
O humano é um ser plural, gregário, de comunidade. E o rosto da comunidade humana é a solidariedade, o sentido do outro, a caridade. Todas as formas de expressar comunidade. Responsabilidade em comunidade.
Ser solidário é ser maior do que a natureza o poderia permitir. Superamo-nos quando estamos juntos, quando somos uns com os outros.”
Estas palavras traduziam na perfeição o essencial. Ainda mais porque foram acompanhadas de gestos concretos e discretos.
E a nível local / autárquico esta foi a postura mais acolhida pelos aveirenses.
Combate-se a adversidade desta natureza com contenção nas palavras, e nas parangonas, e ação concreta junto de quem mais precisa. Ninguém gosta de ver a desgraça, própria ou alheia, objeto de qualquer aproveitamento. Por isso, quem muito falou, só teve um caminho: calar-se! Porque a retórica esgota-se em si mesma, mesmo quando pretende dizer o contrário, disfarçar a falta de ação.
A solidariedade (humana) é discrição na ação: dar importância à ação coletiva para superar os problemas globais e alcançar os objetivos mundiais de desenvolvimento, de forma a construir um mundo melhor e mais seguro para todos.
2020 foi um ano gerador de grandes caminhos de solidariedade autêntica, à semelhança dos valores que o Natal inspira. Boas Festas.” – Francisoco Picado (PS)

“Com o ano a terminar, é altura de analisar de analisar o que se de mais relevante se passou até agora no nosso concelho.
2020 fica marcado pela pandemia do COVID-19, que todos afectou e à qual, naturalmente, ninguém ficou indiferente.
Para além do drama dos que foram afectados pelo contágio da doença, a actividade económica ressentiu-se de uma forma brutal e com consequências graves, nomeadamente nas zonas em que o turismo tem um papel importante e nas indústrias que viram a sua actividade reduzida ou condicionada devido aos sucessivos confinamentos.
Aveiro sofreu com a situação que ainda estamos a atravessar e é essa a memória que levamos deste 2020, com a esperança que em 2021 a situação comece a normalizar, de uma forma lenta certamente, mas que nos permita a todos voltar à normalidade que pretendemos.
Desejamos a todos os leitores votos de Boas Festas.” – Jorge Greno (CDS)

“As festividades desta época são da maior importância para todos. Este ano será forçosamente diferente, mas desejamos que elas possam correr da melhor forma e com a normalidade possível, assegurando sempre todas as medidas de proteção. O esforço e o sentido de responsabilidade da sociedade têm sido notáveis.
Quando olhamos para a ação da CMA vemos que o natal chegou mais cedo à Transdev: Ribau Esteves vestiu-se de pai natal para a presentear com uma borla de 700 mil euros, sem quaisquer contrapartidas. Esta transferência, vendida como ‘apoios universais aos cidadãos’, destina-se à renovação de paragens e pouco mais.
A este valor soma não só a renda anual de mais de um milhão paga pela CMA, a nova renda da CIRA, e todo o investimento público feito via fundos comunitários à frota da empresa. Apresentámos um requerimento para divulgar o valor da renda da CIRA, mas até agora não obtivemos qualquer resposta.
A Transdev não se preparou para a pandemia, mas em Aveiro a incompetência e a impreparação merecem prémio. A concessão foi um erro – temos agora um serviço muito pior do que tínhamos com a MoveAveiro. Até quando vamos continuar a despejar dinheiro público na empresa em vez de financiar um serviço público de transporte?” – João Moniz (BE)

“O PCP destaca três áreas que serão um penoso encargo para os aveirenses, num dos municípios com taxas fixas em valores máximos ou acima da média nacional: água, transportes e resíduos. A água é fonte de vida, é um bem comum que deve ser exclusivamente público. Em Aveiro e no distrito marcadamente governado pelas direitas, as populações pagam a tarifa fixa mais cara do País.
O Edil tem defendido sempre a concessão dos transportes públicos à Transdev, justificando que só esta assegura a sustentabilidade da AveiroBus. O PCP desde o início foi contra a este negócio ruinoso para a qualidade e os direitos dos trabalhadores e utentes. A prova disso é que esta privatização tornou-se no típico sumidouro de dinheiros públicos – a Transdev irá receber fundos públicos na ordem dos 700 mil euros, os impactos da pandemia na redução do lucro da Transdev vai ser compensada por um apoio financeiro extraordinário da Câmara, para além do Município suportar à sua conta os aumentos tarifários de 2020 e 2021, ou seja, quando acabar o apoio, os utentes passarão a pagar mais e todos os contribuintes pagarão o negócio privado.
Em 2021 entra em vigor a duplicação da taxa de gestão de resíduos para aterro, este imposto obviamente recairá integralmente sobre os aveirenses. O PCP e PEV foram os únicos partidos da esquerda que votaram contra na AR, por considerarem que esta medida terá um efeito marginal no aumento da reciclagem, mas um efeito muito significativo sobre os Municípios e populações num período em que estamos a sofrer os impactos da crise sanitária.
A concelhia de Aveiro do PCP deseja a todos leitores e aveirenses, votos de saúde e boas festas. E que em Janeiro entremos em força para apoiar a candidatura de João Ferreira a Presidente da República, o candidato que esteve sempre contra aos negócios privados à custa do erário público e dos contribuintes que pagam o risco, os lucros e aumentos tarifários.” – David Silva (PCP)

“Está a terminar a segunda década do século XXI. Ao longo dos últimos 20 anos faltou uma estratégia clara de sustentabilidade social, económica e ambiental ao município de Aveiro. A diversificação da economia por múltiplos setores de atividade não aconteceu ainda totalmente, sendo necessário investir mais na formação e requalificação dos recursos humanos do concelho. Desta forma, será possível promover a igualdade de oportunidades e permitir a qualquer aveirense ter acesso ao elevador social que lhe assegure melhores condições de vida. A coesão social e territorial do município está também aquém do esperado, com freguesias periféricas sem os recursos necessários ao seu desenvolvimento, e com muitos cidadãos a precisar de assistência para garantir uma vida condigna.
Ao nível da protecção animal, Aveiro continua sem um canil municipal e sem saber o que acontece aos animais errantes do concelho. O cuidado pelos animais e a esterilização generalizada são uma completa miragem. Por fim, em termos ambientais e num período crítico para o combate às alterações climáticas, a aposta na mobilidade colectiva e nos meios de transportes suaves fica-se pelos mínimos requeridos, estando também a infraestrutura verde da cidade em acelerada degradação, sem o projeto de novos corredores ecológicos que melhorem a qualidade de vida em zonas urbanas. Esperemos que as próximas 2 décadas sejam diferentes.
O PAN continuará atento a estes aspectos e continuará a pugnar por estas e outras causas tão importantes para todos os Aveirenses, a quem desde já, aproveitamos para desejar Boas Festas e um Feliz 2021!” – João Almeida (PAN)

Publicidade, Serviços & Donativos