Aveiro: Aprovados quatro subsídios a coletividades e explicadas razões para rejeição de três pedidos

1498
Antiga Fábrica Jerónimo Pereira Campos, Aveiro (foto Câmara de Aveiro).
Dreamweb 728×90 – Video I

A Câmara de Aveiro aprovou na sua reunião privada desta quinta-feira quatro subsídios a outras coletividades com uma verba que no total atinge 15.800 euros.

No âmbito do Programa Municipal de Apoio às Associações (PMAA), foi dada luz verde a uma a adenda ao contrato programa celebrado com o Clube dos Galitos, concedendo um apoio financeiro para aquisição de uma embarcação (remo) para formação, no montante de 11.000 euros.

O executivo aprovou uma ajuda para a atividade regular do Grupo Etnográfico e Cénico das Barrocas no valor de 2.000 euros, apoiar pontualmente a Associação Musical Pró-Organo em 1.300 euros e um subsídio de 1500 euros para comparticipar o investimento do Grupo Cultural e Recreativo da Taipa.

“Em virtude de ainda não terem sido assinados três protocolos de cooperação financeira para apoio ao investimento, bem como cinco contratos programa de apoio à atividade regular”, a Câmara deliberou, também, “autorizar a prorrogação do prazo para tornar possível a celebração dos acordos definidos com as respetivas associações.”

De acordo com o comunicado da reunião camarária, foi também revogado o apoio a atividade regular no valor de 1.000 ao Grupo Etnográfico e Cénico das Barrocas e o apoio pontual de 500 euros à AMPO.

O executivo informa ainda que deliberou não apoiar as candidaturas apresentadas pela Fundação Graça Gonçalves – Lugar dos Afetos, ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental e pela Associação de Amigos da Pateira do Carregal.

Lugar dos Afetos:

Apesar do reconhecimento de grande valia educativa e cultural do projeto, persistiram dúvidas relativamente à qualificação jurídica da entidade e do destino a dar ao equipamento, uma vez que se trata de uma instituição não-governamental sem fins lucrativos, mas que na memória descritiva apresentada com a candidatura refere-se também que se trata de uma instituição de animação turística, o que obriga a um aprofundamento do conhecimento das diversas valências da referida Fundação, de forma a enquadrar com rigor a elegibilidade da mesma no âmbito do PMAA.

ASPEA:

A Associação apresentou uma candidatura assente no desenvolvimento de atividades na Quinta Ecológica da Moita, espaço que se encontra neste momento ilegal, e que inviabiliza o apoio da Câmara à realização de ações neste espaço.

Associação de Amigos do Parque da Pateira do Carregal:

A Câmara considera mais adequado o estudo de um Protocolo tripartido com a Junta de Freguesia de Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz e a própria Associação, que defina as obrigações das partes, tendo em vista a contínua e melhorada manutenção e valorização do Parque da Pateira do Carregal.

Artigo relacionado

Aveiro: Edil garante critérios e transparência de subsídios municipais

Publicidade, Serviços & Donativos