Aparício resolveu na primeira parte

1367
Beira-Mar (Facebook).
Dreamweb 728×90 – Video I

O Beira-Mar venceu no reduto do Bustelo pela margem mínima em partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato de Elite da Associação de Futebol de Aveiro.

Ficha e vídeo

A formação forasteira, que entrou em campo com o extremo Monteiro a fazer a estreia a titular, relegando Alex para o banco, teve uma oportunidade flagrante ao passar do quarto de hora.

O maior domínio seria coroado com o golo de Aparício, quase ao dobrar da meia hora.

Ricardo Ferreira aproveitou um desatenção defensiva na pequena área e atrasou para médio aveirense, que rematou para o fundo da baliza.

A equipa treinada por Miguel Oliveira, que chegou à quarta jornada na liderança, procurou reagir através de remates, mas Maringá foi chegando para as encomendas.

Na segunda parte, os locais não desistiram de correr atrás do prejuízo. E viram um golo anulado por fora de jogo assinalado ao inevitável Mário.

Os aurinegros poderiam ter aumentado a vantagem num lance contra a corrente do jogo. Mas um defesa central evitou o pior, ao desviar o cabeceamento oportuno de Lobo.

Com o resultado muito perigoso, Cajó procurou colocar ordem no meio campo fazendo entrar Ricardo Gomes, em estreia, para a saída de Letz.

O Bustelo mantinha-se mais pressionante. Berna saltou do banco aos 75 m e pouco depois esteve muito perto de igualar.

O Beira-Mar acabaria por segurar a vantagem que valeu a primeira vitória fora de portas no campeonato numa partida marcada ainda pela lesão de Diego Tavares, que jogou em muito sacrifício nos minutos finais.

Os aveirenses somam sete pontos, com menos um jogo (Vista Alegre), alcançando o Bustelo, que caiu para o quinto lugar.

O Esmoriz venceu em casa o Avanca (4-2) e passou a repartir a liderança com o Mansores, que ganhou no seu reduto ao Mourisquense (1-0). Ambas as equipas somam 10 pontos (mais resultados e classificação).

Declarações finais à rádio Terra Nova

“Faltou-nos este tipo de resultados o ano passado. Hoje fomos capazes e competentes, com menos bola do que gostamos. Tivemos o jogo controlado, mas expostos, não conseguimos o segundo. Os campeonato também se fazem destas vitórias. Na exibição nem tanto, o mais importante era vencer” – Cajó, treinador do Beira-Mar.

“Na primeira parte acusámos demasiado o facto de ser o Beira-Mar, errámos muitos passes simples e o Beira-Mar teve mais bola e mais possibilidade de estar perto da nossa baliza. Com o golo do Beira-Mar ficámos mais soltos, melhorámos na segunda parte. Há aqui lances que deixam bastantes dúvidas e condicionam o desenrolam o jogo. Falam-me numa agressão a um nosso jogador, com uma cabeçada. O Artur fez faltas a parar transições nossas. O golo anulado deixa-nos dúvidas. O resultado mais justo era o empate” – Miguel Oliveira, treinador do Bustelo.