Albergaria-a-Velha investe na zona industrial para atrair mais empresas

1205
Paços de concelho de Albergaria-a-Velha.

O Orçamento da Câmara de Albergaria-a-Velha para 2019 tem um decréscimo de 16,9 para 15,2 milhões de euros relativamente ao ano passado.

A proposta de Grandes Opções do Plano (GOP) passou na Assembleia Municipal por maioria.

A maioria CDS liderada por António Loureiro destaca “a promoção da coesão social e territorial” como “uma marca incontornável”, nomeadamente “através da manutenção de uma baixa carga fiscal sobre as famílias e de apoios aos mais desfavorecidos, da aposta na educação, cultura e desporto, do incentivo à iniciativa empresarial, da valorização da qualidade de vida e do estímulo à reabilitação urbana e eficiência energética”.

Um orçamento “de continuidade, com a manutenção e reforço de projetos já consolidados nas áreas da educação, ação social, cultura e desporto” mas que pretende dar em 2019 “uma grande ênfase às questões da sustentabilidade ambiental, reabilitação urbana e da melhoria da qualidade de vida da população.”

A Câmara espera “atrair mais investimento, incrementar a capacidade competitiva do município e das suas empresas e aumentar a atratividade do Concelho, promovendo o emprego”.

Para isso, irá avançar com “o processo de infraestruturação de novos arruamentos na zona industrial, criando melhores condições para a captação de mais empresas e a ampliação das existentes”. Investimento que “concentrará uma parte importante dos recursos financeiros”.

Na área ambiental, a Câmara vai continuar a renovar a sua frota automóvel, adquirindo veículos elétricos, e a apostar na eficiência energética dos equipamentos municipais, com a Piscina Municipal de Albergaria-a-Velha a ser alvo de uma intervenção em 2019.

Ainda na área do ambiente, destaca-se a implementação de diversas iniciativas de valorização da Pateira de Frossos.