Águeda: PS pede mais empenho municipal no combate à pandemia

426
Paços de Concelho de Águeda.
Smartfire 728×90 – 1

O PS de Águeda mostra-se insatisfeito com a resposta da autarquia local aos “números assustadores da evolução da pandemia” de Covid-19 que não deixa o concelho de parte.

“Não se verifica uma ação consertada da Câmara Municipal de Águeda, na implementação de medidas que contribuam para o cumprimento das medidas inerentes ao estado de confinamento decretado pelo Governo”, lamentam os socialistas em comunicado.

A concelhia ‘rosa’ “desafia”, por isso, a Câmara “a sair da inação”, avançando com várias propostas.

Desde logo, a “reunião urgente da Comissão Municipal de Proteção Civil, estranhamente um órgão totalmente inativo” num encontro “para análise da situação e delinear e articular ações a desenvolver”.

O PS de Águeda reclama, também, a realização de testes rápidos de antigénio e testes serológicos para deteção de anticorpos professores, assistentes operacionais das escolas, trabalhadores da Câmara e Juntas de Freguesia, forças de segurança e proteção civil, bem como colaboradores e utentes das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

Os socialistas entendem que deve ser feito, igualmente, um esforço de informação junto da população, “alertando para as medidas a cumprir no âmbito do confinamento, nomeadamente na adoção do teletrabalho, as medidas de higienização e dos mecanismos disponíveis para apoiar as pessoas que não podem sair de casa (ex: ir às compras, farmácia, etc).”

O “levantamento de necessidades das IPSS, no âmbito das medidas a adotar perante a pandemia, com pagamento das despesas comprovadas” e a “fiscalização de eventuais ajuntamentos, alertando para a necessidade de cumprimento das normas estabelecidas, nomeadamente nos períodos de entrada e saída das escolas” são outras das ações propostas pelo PS, mostrando-se “disponível para apoiar” a Câmara nas tarefas.

A finalizar, o comunicado assinado pelo líder concelhio, José Marques Vidal, dá conta que na reunião de executivo municipal da passada terça-feira o presidente da Câmara “recusou a proposta dos vereadores do PS para a realização de testes”.

Segundo o ponto de situação do Agrupamento dos Centros de Saúde (ACeS) do Baixo Vouga relativo à passada terça-feira, Águeda tinha 565 casos ativos e 22 óbitos registados.

Publicidade, Serviços & Donativos