Águeda: Estratégia Local de Habitação aprovada pela Câmara prevê 30 milhões de investimento

610
Águeda (vista aérea).
Smartfire 728×90 – 1

A Estratégia Local de Habitação (ELH) de Águeda, aprovada na última reunião camarária, “constitui um documento de trabalho para continuar a estratégia definida pelo município em matéria de habitação”. Cerca de 370 agregados familiares estão na lista de prioridades.

Segundo um comunicado da edilidade, estão identificadas “as necessidades habitacionais e respetivas soluções” a implementar nos próximos anos, perspetivando-se “um investimento global de mais de 30 milhões de euros.”

A proposta, que segue para discussão e votação na Assembleia Municipal, “é um instrumento importante para a projeção do concelho”, tendo sido “trabalhado em concertação com o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), “em alinhamento” com a estratégia nacional em políticas de habitação e adaptado à realidade local.

A autarquia poderá apresentar projetos de promoção habitacional a candidaturas a fundos estruturais no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) num horizonte temporal de intervenção e de investimento até 2027, implicando o envolvimento de um conjunto agentes locais, desde proprietários privados a instituições do setor social, bem como as Juntas e Uniões de Freguesias.

A ELH de Águeda prevê abranger, “na primeira prioridade estratégica”, cerca de 369 agregados familiares (mais de 120 agregados jovens), que integram 1.051 indivíduos.

A resposta a esta necessidade vai passar por várias medidas, entre as quais estão a erradicação de núcleos precários identificados e mapeados; a disponibilização de respostas habitacionais para situações de carência identificadas e a reabilitação do parque habitacional social.

Para além do arrendamento de habitações para subarrendamento, da reabilitação de frações ou de prédios habitacionais e a aquisição de frações ou de prédios degradados e subsequente reabilitação, o Município prevê a aquisição de terrenos e construção de dois empreendimentos em regime de habitação a custos controlados, um de 50 e outro de 49 fogos habitacionais.

Entre as medidas previstas na ELH estão ainda a promoção da reabilitação de habitação própria, de imóveis de agregados familiares que se encontram em comprovada situação de carência habitacional e financeira, assim como medidas de apoio ao arrendamento a famílias carenciadas no âmbito de programas de apoio a entidades sociais e de acompanhamento e inclusão social.

O município pretende também, criar uma bolsa de terrenos para atrair investidores para o mercado de habitação (construção a custos controlados), disponibilizar benefícios e incentivos à reabilitação urbana e a criação de um programa de estímulo ao arrendamento.

Pressupostos fundamentais da ELH

“Habitação 1.º” (procurando garantir o acesso à habitação das famílias que vivem em situação de carência habitacional); “+ Habitação” (promovendo soluções habitacionais acessíveis para todos os que não têm resposta no mercado); e “Atrair e Crescer” (apostando na captação de investimento no domínio da habitação e promovendo a fixação de população residente).

Discurso direto

“Este não é um assunto estanque; estivemos, estamos e continuaremos a trabalhar para responder às necessidades dos cidadãos do concelho e a todos os que aqui querem investir, trabalhar e viver. Estão desbloqueados dois loteamentos significativos nas proximidades do centro urbano e que os serviços camarários têm recebido um conjunto de processos para dar início a obras em várias freguesias do concelho” – Jorge Almeida, presidente da Câmara de Águeda.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.