Acelerar a modernização da economia, impulsionando a actividade agrícola e a fileira

291
Agricultura.
Dreamweb 728×90 – Video I

A crise pandémica recente veio confirmar a resiliência do sector agro-alimentar perante as situações mais adversas e não apenas em contextos de crescimento, demonstra-do assim a sua mais valia muito particular para a economia nacional.

Por Confederação dos Agricultores de Portugal *

O sector agrícola tem desenvolvido ao longo das duas últimas décadas um percurso de investimento, modernização, aumento da competitividade e das exportações, com elevada incorporação de valor nacional, assim afirmando a sua importância na economia.

Em 2019 o sector agro-alimentar e agro-florestal, em conjunto, atingiu um VAB de cerca de 17 mil milhões de euros e as exportações representaram cerca de 20% do total de exportações de bens do País, com um crescimento superior a 50% entre 2010 e 2019, em particular para o mercado europeu.

Actualmente, a balança comercial do sector agro-florestal apresenta um superavit de cerca de 1000 milhões de euros, constituindo um verdadeiro desígnio nacional, o qual tem vindo a ser progressivamente conquistado com volumes crescentes de investimento e de aposta no sector por parte dos agricultores portugueses.

O progresso da agricultura nacional constitui, por sua vez, um factor de desenvolvimento da actividade industrial, designadamente da indústria agroalimentar, de fabrico de equipamentos agrícolas e de produtos fitofármacos.

A agricultura e a indústria com ela relacionada são actividades económicas com ganhos potenciais de produtividade, com valor acrescentado (VAB), com oportunidades de exportação e com conteúdo tecnológico mais elevados do que outros sectores que hoje, em Portugal, têm mais visibilidade e reconhecimento públicos

A agricultura e a indústria são também os sectores âncora para se conseguir um desenvolvimento económico e social equilibrado do território nacional, ao abrirem-se oportunidades para o empreendedorismo e a criação de emprego qualificado e estável no interior.

Acresce referir que as comunidades do interior, com as suas actividades assentes na agricultura e na indústria locais, contrariam eficazmente os efeitos ambientais muito nocivos, resultantes do crescimento desenfreado das grandes metrópoles urbanas.

A crise pandémica recente veio confirmar a resiliência do sector agro-alimentar perante as situações mais adversas e não apenas em contextos de crescimento, demonstra-do assim a sua mais valia muito particular para a economia nacional.

Com efeito, perante uma crise generalizada no consumo, particularmente nos sectores da restauração e hotelaria, quebra dos preços praticados e, consequentemente, dos proveitos, os produtores prometeram – “A agricultura não pára” – e assim garantiram a produção e a manutenção das cadeias de abastecimento e, dessa forma, a estabilidade do sector agro-alimentar, assegurando à generalidade da população o acesso a alimentos em quantidade e em qualidade.

Cumprida essa etapa e tendo em conta as ambições demonstradas pelas instituições europeias ao nível do relançamento da economia, da protecção do ambiente e incremento da biodiversidade, designadamente através do recentemente aprovado Plano Europeu de Recuperação e do Pacto Ecológico Europeu -“Green Deal”- a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) considera o momento oportuno para apresentar um conjunto de opções estratégicas que visem acelerar a modernização da economia nacional, impulsionando a actividade agrícola e toda a fileira industrial com esta relacionada.

Este contributo pretende ainda promover uma visão para o crescimento da economia e o desenvolvimento de regiões do país mais fragilizadas, envolvendo várias actividades dos sectores primário, secundário e terciário, directa e indirectamente ligados à agricultura e floresta, num contexto de interpelação aos jovens e de exploração sustentada dos recursos, em sintonia com modernos conceitos de protecção ambiental, mitigação das alterações climáticas e combate à desertificação.

Como contributo para o relançamento da economia nacional, a CAP apresenta um conjunto de acções, horizontais, que potenciam o desenvolvimento do sector Agro de forma integrada com o desejado progresso do país.

* Introdução – “A agricultura portuguesa no contexto de recuperação da atividade económica nacional”. Ler contributo completo em https://www.cap.pt/storage/app/media/Geral%202020/capambicao-agro-2020-30.pdf

Publicidade, Serviços & Donativos