A sorte protegeu os mais audazes

388
Atlética de Avanca - Beira-Mar.
Smartfire 728×90 – 1

O Beira-Mar obteve uma vitória feliz no campo do aguerrido Avanca, este domingo à tarde, com o único golo a ser apontado por Diego Tavares no limite do tempo de compensação.

Ficha e vídeo

Disputada a 14ª jornada do principal escalão distrital, os aveirenses continuam na liderança, agora com 40 pontos, mantendo a diferença de seis para o Bustelo, que ganhou 2-1 na receção ao Mansores, mercê de uma reviravolta.

A 12ª vitória consecutiva do Beira-Mar, embora sofrida, acaba por ser um prémio justo para a equipa que mais procurou o golo, obtido ao minuto 90+6 na sequência de um canto, o 13º a favor dos forasteiros, apontado da esquerda por Artur.

O ponta de lança Rodrigo faz um desvio de cabeça, com a bola a sobrar para Diego que, ao segundo poste, meteu o pé e pôs fim ao sofrimento dos visitantes, marcando pelo segundo jogo consecutivo para o campeonato.

Na sequência dos festejos, Artur acabaria por ver o cartão vermelho direto.

O golo que pôs fim à série de quatro vitórias do Avanca surgiu após uma incursão atacante dos locais, que até beneficiaram de um canto a seu favor, mas não conseguiram no último lance segurar o empate que se adivinhava.

Os locais mostraram, sobretudo na primeira parte, atributos defensivos que ajudam a explicar bem o nulo ao intervalo. E até dispuseram da primeira oportunidade de perigo, aos 20 minutos, num lance do veloz José Leite, a que Carlitos não deu a melhor finalização.

O Beira-Mar acusou as dificuldades e só no quarto de hora final assumiu o jogo. Aparício, com um remate de fora da área e outro à ‘queima roupa’, esteve perto do golo.

Após o descanso, o Avanca ainda teve uma boa oportunidade de ficar em vantagem, numa recuperação de bola que permitiu a José Leite surgiu em boa posição, mas o remate saiu muito por cima da baliza.

Seguiu-se um período em que viu-se muito pouco futebol, com faltas constantes, ações disciplinares e consequentes paragens que arrastaram a partida.

Cajó reforçou o ataque com Rodrigo e Vando. Aos 87 minutos, Rodrigo fez um desvio que sobrou para Alex, que rematou rasteiro, forte, para as mãos do guarda-
redes norte americano Puzin, muito seguro. Em cima dos 90 minutos, seria Aparício, numa insistência, a ver o remate na área a ser desviado pelo corpo de um defesa.

A resistência defensiva do Avanca até justificaria o empate, não fosse o estoicismo da equipa aurinegra, que só descansou após o apito final, garantidos os três pontos na bagagem.

Declarações dos treinadores transmitidas pela Rádio Terra Nova

“A equipa do Avanca apresentou-se forte, equilibrada e consistente. Sabíamos que o adversário era valioso. O mais justo seria o empate, porque o Beira-Mar não criou nenhuma oportunidade clara, à exceção da bola parada, ao cair do pano. Costuma-se dizer que é estrelinha de campeão. Temos de dar os parabéns ao Beira-Mar, mas o Avanca teve muito mérito e nos momentos que criou notou-se que o Beira-Mar estava muito receoso em relação à nossa equipa, pois reconhece-se a qualidade do trabalho e jogadores. Os festejos do Beira-Mar ainda nos vão dar força para ganhar o próximo jogo” – Pedro Alves (treinador do Avanca).

“Sabíamos da qualidade do adversário, apesar da sua juventude. É das melhores equipas do campeonato. Mas a alma da nossa equipa é até ao último lance. E mais uma vez conseguimos. Merecemos, porque fizemos tudo pela vitória que acabou por nos sorrir. Tivemos só um ou outro deslize na primeira parte, de resto foi de sentido único. É duro sofrer um golo a acabar, mas nós merecemos. Vai ser cada vez mais difícil, os adversários têm muito valor mas estou muito satisfeito com o grupo.
[Sobre a dispensa de Letz] Foi um jogador a que não temos nada a apontar até certo ponto, mas depois não conviveu muito bem por não ser titular indiscutível. Trabalho no sentido do grupo, entendemos que estava um bocadinho desalinhado e decidimos trocar. No próximo jogo deveremos contar com novas soluções” – Cajó, treinador do Beira-Mar.