A história da OLI ou a história da família Oliveira

2676
Smartfire 728×90 – 1

A OLI nasceu há 65 anos do sonho, irreverência e vontade de vencer de dois irmãos, simples e humildes.

António Oliveira *

Das origens dos fundadores, António e Saul, aos dias de hoje, estão neste livro plasmados, cremos, os momentos importantes com referência às sensibilidades e características humanas das pessoas que estiveram na génese da OLI e das que as acompanharam.

Estou certo que este livro servirá de testemunho para as referências da próxima geração e das que se seguirem. Este livro, de algum modo, reflete a sobreposição da história da OLI e da família Oliveira.

Naturalmente, algumas vezes, o leitor questionará se este livro relata a história da OLI ou a história da família Oliveira. Diria que relata as duas, pois em grande parte do tempo, e do livro, se confundem e coincidem.

A OLI nasceu há 65 anos do sonho, irreverência e vontade de vencer de dois irmãos, simples e humildes: o meu pai e o meu tio. Os dois, sócios fundadores, remediados para a época, andavam de bicicleta e os produtos que se vendiam eram, maioritariamente, para uma vida e uma agricultura de subsistência. Portugal era um país pobre!

Desde que tenho memórias que me lembro de vir para a empresa, com o meu pai, já de carro (um carocha de vidro traseiro oval) e com o meu irmão, claro, que se lembra de vir, ainda antes, com o meu pai, mas no quadro da bicicleta.

Foi na empresa que aprendi a ler e a escrever, antes de ir para a primária, com a “Lena” que me ensinou tudo e que tinha comigo uma paciência e uma dedicação inexcedíveis e quase inexplicáveis. Temo não ter sido capaz de proporcionar uma verdadeira e completa (mais que merecida) reciprocidade.

Foi na empresa que aprendi, ainda cedo, o que significam o trabalho, a seriedade, o respeito pela palavra e o significado do compromisso, bem como aprendi a sentir os tempos difíceis, a necessidade de tomar decisões e, também, claro, os tempos de felicidade.

Estas recordações serão comuns ao meu irmão, que, comigo, percorreu esta aventura, humana, empresarial e profissional. Quantas vezes, nas férias escolares de verão, lamentámos o nosso “destino” de ter de ir trabalhar enquanto alguns nossos amigos iam para a praia. Quantas vezes, mais tarde, dei por bem empregue este tempo que nos permitiu ter uma visão da vida dos negócios e da gestão, tão útil nos anos em que, sozinhos, tivemos de levar o barco a bom porto.

Ao longo da vida dos fundadores, e da empresa, muitas mudanças sociais, económicas e políticas ocorreram no mundo e em Portugal.

Ao longo da vida, a OLI soube adaptar-se, sempre, aos tempos modernos (foi das primeiras empresas a usar um computador para faturação e contabilidade), cavalgando sempre a modernização do mercado, dos produtos e dos processos.

A segunda geração trouxe a indústria e mais um fator de adaptação e crescimento, e a parceria com os sócios italianos.

A terceira geração, já bem presente, interveniente e bem sintonizada com os sócios italianos, trouxe uma nova dimensão da internacionalização e novos e apurados processos de gestão da produção.

Os primeiros 25 anos foram, primeiro, de difícil implantação e depois de forte e contínuo crescimento e afirmação no mercado, em que a primeira geração (os fundadores) aplicou toda a energia, saber e capa- cidade de trabalho e gestão.

Os 25 anos que se seguiram foram de transformações marcadas pela chegada da segunda geração, o início da produção, a alteração da administração, a entrada dos sócios italianos, o crescimento da fábrica e o início das parcerias com importantes grupos sani- tários europeus, e depois a mudança que o milénio trouxe ao nível de paradigmas do negócio.

Pouco depois dos 50 anos de vida da OLI, em 2008, chegou a crise e com ela a necessidade de novas adaptações e recentragem de estratégias, mas chegou também a terceira geração e mais um fôlego de renovada energia.

O mundo mudou, e muito, ao longo destes 65 anos, tal como mudou a OLI, e mudaram as pessoas que a comandam.

A nível económico, devo referir que, ao fim de todos estes anos, conseguimos uma discreta relevância regional e setorial (aqui, atrevo-me a dizer, numa escala além-fronteiras, pois contamos com os mais importantes grupos cerâmicos sanitários mundiais como clientes e parceiros, em diferentes geografias).

A nível social, devo referir a importância dos empregos que criámos na região, a interação, a vários níveis, com a Universidade de Aveiro e o apoio a inúmeras coletividades, desportivas e não só, da região, dando continuidade aos princípios herdados dos fundadores, a que agora se chama responsabilidade social, aliado ao reconhecimento de ator importante na centralidade local.

A OLI somos nós e nós somos a OLI, mesmo se alargámos a família aos nossos sócios (são uma família, como nós, e consideramo-nos, genuinamente, família uns dos outros).

A OLI é a materialização dos valores humanos, do respeito pelas pessoas, da valorização do trabalho, e dos valores da família.

Estes 65 anos foram anos de prazer e felicidade, em que a família, os colaboradores, os amigos, os clientes e os fornecedores me permitiram sentir realizado e orgulhoso do percurso iniciado com os nossos pai e tio e depois continuado por nós.

Agora, mais uma vez, lado a lado, está na altura de passarmos o testemunho.

Os nossos filhos, companheiros e amigos, continuarão este percurso, cada vez mais difícil, dados os tempos, mas seguramente mais bem preparados, sabendo que contam com o importante apoio dos nossos sócios italianos, com quem percorremos os últimos 25 anos e a quem manifesto, de forma veemente, o agradecimento pelo apoio, pela partilha de saberes e de riscos e de resultados. Afinal, comemoramos várias “efemérides”!

Aqui deixo umas breves palavras de agradecimento: ao nosso pai e ao nosso tio; a todos quantos ajudaram a percorrer este caminho; a todos quantos, hoje, nos acompanham; e a todos quantos, por via deste projeto, sentiram a distância das mães e pais que ficaram na empresa mais tempo para acudir, primeiro, à empresa.

* Presidente OLI.

As comemorações do 65º aniversário da OLI iniciam-se a dia 28, com a apresentação pública do livro “A nossa História”, às 18:30, no edifício da Capitania de Aveiro,
A apresentação da obra estará a cargo de Júlio Pedrosa, antigo reitor da Universidade de Aveiro, e contará com a participação do Presidente da OLI, António Oliveira, e do administrador, Rui Oliveira.
Este livro, editado pela AD communication, revela os principais momentos da empresa fundada em 1954, em Aveiro, pelos irmãos Saul e António Oliveira, com a atividade de compra e venda de artigos de fundição e outros materiais, até aos dias de hoje.
A OLI chega aos 65 anos com a posição de líder ibérica na produção de autoclismos, uma relevante dimensão internacional (presente em 80 países dos 5 continentes), uma elevada fasquia de produção (2 milhões de autoclismos e 2,8 milhões mecanismos anuais) e o estatuto de empresa inovadora.

Publicidade, Serviços & Donativos