5 dúvidas de quem quer ser nómada digital na Europa

1534
Direitos reservados.

Está a pensar em se tornar nómada digital? Tire suas dúvidas sobre esse as condições para levar esse estilo de vida e viajar pela Europa.

Ser nómada digital significa, basicamente, a combinação entre a liberdade para viajar e a possibilidade de se sustentar com um trabalho online que não depende de sua localização. Muita gente sonha em levar esse estilo de vida e há destinos famosos por atrair profissionais estrangeiros que trabalham remotamente, tais como Chiang Mai, na Tailândia, e Playa del Carmen, no México. Mas como será o panorama para quem pretende fazer isso na Europa?

Confira quais são os principais pontos a considerar antes de tomar essa decisão.

1. A Europa é um bom destino para nómadas digitais?

Depende. O fato de que os cidadãos brasileiros não precisam de visto para a Europa costuma gerar interesse em viajar pelo Velho Continente como nómada digital, mas vale lembrar que há requisitos para a isenção de vistos europeus de acordo com o propósito e a duração da viagem. Outros grandes atrativos da Europa são a ótima infraestrutura de transportes, os altos níveis de segurança e a proximidade entre países com diferentes paisagens e aspetos culturais. Tudo isso enriquece a experiência de quem pretende explorar diversos destinos durante uma jornada. Por outro lado, você deve considerar que o custo de vida será mais alto do que no Brasil e que seu roteiro deverá ser bem planeado para não ultrapassar os prazos de permanência nos países europeus —possivelmente alternando um período no Espaço Schengen com visitas a outros países que não fazem parte desse bloco.

2. Quando é melhor e mais barato viajar pela Europa?

A chamada “temporada baixa” para o turismo é a melhor época para viajar pela Europa
gastando menos. Isso exclui os meses de verão e a época das festas de final de ano, além de outros feriados relevantes no hemisfério norte, como a Páscoa e o Spring Break (que
geralmente ocorrem entre março e abril). Também há regiões que são populares como destinos de inverno e com preços em alta nos meses mais frios do ano. Portanto, o ideal é escolher os meses com temperaturas mais amenas no outono e na primavera para visitar os países europeus com mais tranquilidade e menores custos.

3. Como posso trabalhar remotamente ao viajar para países europeus?

A maioria dos países europeus não permite que um profissional estrangeiro trabalhe em seu território sem um visto específico para isso. Só que a ocupação de quem é nómada digital não se enquadra bem nessa regra. Afinal, trabalhar remotamente não é igual a ter um emprego local. Como o modelo de trabalho online é relativamente novo no cenário das políticas de vistos, muitas pessoas aproveitam para viajar por lugares em que esse tema entra em uma espécie de “área cinza” na legislação. Apesar de não ser uma situação ideal, isso é comum para quem vai fazendo planos pelo caminho. Mas é bom prestar atenção, pois as autoridades europeias estão atualizando suas leis para um melhor controle das entradas, saídas e deslocamentos de cidadãos estrangeiros. Além disso, você pode se programar para obter os novos vistos com foco no nomadismo digital e na atuação de freelancers.

4. Onde você pode conseguir um visto de nómada digital na Europa?

Estes são alguns exemplos de países europeus com vistos para nómadas digitais ou outras
possibilidades de receber profissionais estrangeiros que trabalham remotamente:

● Alemanha, que tem uma política de vistos para freelancers de diversas áreas (nas
quais alguns nómadas digitais podem se encaixar).
● Croácia, cujo visto nómada digital pode ser obtido por um processo online que requer
a comprovação do trabalho remoto.
● Estónia, com vistos para nómadas digitais que são empreendedores ou têm um
emprego remoto fora do país.
● Espanha, que disponibiliza uma autorização especial de trabalho autónomo com
validade de um ano.
● Malta, que oferece vistos para nómadas digitais estrangeiros por meio do programa
Digital Nomad Residency.
● Noruega, com uma modalidade de visto para nómadas digitais que se estabelecerem
nas Ilhas Svalbard.
● Portugal, com as opções de vistos temporários para profissionais que trabalham
remotamente, freelancers e empreendedores.

5. Quais são os principais desafios do nomadismo digital?

Além da preocupação com os vistos ou com a possibilidade de entrar e permanecer
legalmente em um ou mais países como nómada digital, esse estilo de vida envolve uma
constante organização de trâmites de viagem, alojamento e adaptações necessárias em cada novo local. Você também deve contar com as saudades e os desafios para manter a estabilidade econômica, a produtividade em fusos horários diferentes e os cuidados com sua saúde (física e mental). Por outro lado, essa experiência pode trazer aprendizados valiosos, incrementar o seu domínio de idiomas e a sua inteligência emocional, trazendo novas perspetivas profissionais.

Publicidade, serviços e donativos

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços em NotíciasdeAveiro.pt.

Aceder a plataforma online.

O Notícias de Aveiro tem canais próprios para informação não jornalística como é o caso deste artigo »» ler estatuto editorial.