185 quilos de bivalves apreendidos “por falta de rastreabilidade”

1368
Apreensão da UCC da GNR na Gafanha da Nazaré.

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aveiro, apreendeu, na Gafanha da Nazaré, Ílhavo, 185 quilos de bivalves “por falta de rastreabilidade”.

A ocorrência é do dia 18 de setembro, durante uma operação de fiscalização ao transporte de moluscos bivalves vivos.

Segundo a Guarda, foram detetadas duas pessoas, um homem e uma mulher, de 43 e 22 anos, respetivamente, que faziam o transporte de 116 quilos de amêijoa japonesa (venerupis philippinarum), 18 quilos de amêijoa macha (venerupis pullastra) e 51 quilos de amêijoa boa (venerupis decussata), “sem serem portadores dos documentos necessários para a sua entrada no circuito comercial.”

A GNR procedeu à elaboração do auto de notícia por contraordenação, cuja coima pode chegar aos 3.740 euros.

Os bivalves, por ainda se encontrarem vivos, foram devolvidos ao seu habitat natural.

“A captura, depósito e expedição deste tipo de bivalves, sem que sejam sujeitos a depuração ou ao controlo higiossanitário”, lembra a GNR, “pode colocar em causa a saúde pública, caso sejam introduzidas no consumo, devido à possível contaminação com toxinas, sendo o documento comprovativo da origem fundamental para a prevenção da introdução de forma irregular no consumo.”

Publicidade, Serviços & Donativos