15 medidas para promover a bicicleta e transformar as cidades e vilas

970
Bicicletas de uso partilhado, Oliveira de Azeméis.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) propõe 15 medidas para promover a utilização da bicicleta e transformar as cidades e vilas portuguesas para o Orçamento de Estado 2023 (OE2023).

Por José Manuel Caetano *

Apresentamos a seguir as medidas propostas:

– Financiamento dos municípios para implementação de Sistemas de Bicicletas Partilhadas nos seus territórios;

– Materialização da Estratégia Nacional de Mobilidade Ativa Ciclável 2030, fundindo-a com a Estratégia Nacional de Mobilidade Ativa Pedonal 2030 com orçamento dedicado e proporcional à dotação de 300 M€ prevista no Portugal Ciclável 2030 e PNI 2030;

– Criação de uma estrutura de Missão para a concretização da ENMAC e ENMAP;

– Financiamento das autoridades de transportes para a integração tarifária dos sistemas de bicicletas partilhadas (públicos ou privados) com os passes de transportes públicos;

– Incentivo para a utilização da bicicleta criando um valor de 0,24€/km pedalado para utilizadores de bicicleta nas deslocações casa-trabalho ou casa-escola;

– Criação da categoria “Bicicletas” nas deduções de IRS para despesas com a utilização em sistemas de bicicletas partilhadas ou manutenção/reparação de bicicletas;

– Apoio financeiro para soluções e programas de micrologística urbana com recurso a bicicletas;

– Implementação do Fundo de Segurança Rodoviária Municipal ou Intermunicipal/Metropolitano, que majora a verba a transferir para os municípios em função da redução da sinistralidade rodoviária;

– Incentivo financeiro para a construção de ciclovias intraurbanas de âmbito municipal privilegiando a criação de infraestruturas cicláveis urbanas;

– Incentivar a compra de bicicletas de caráter citadino ou bicicletas de carga através do Fundo Ambiental, como já acontece, mas com as seguintes alterações:

a. financiamento de 50% do valor de bicicleta convencional até 150€ num limite máximo de 1.500.000€;
b. financiamento de 50% do valor de bicicleta elétrica até 450€ num limite máximo de 1.000.000€;
c. financiamento de 50% do valor de bicicleta de carga até 700€ num limite de 500.000€;

– Incentivar financeiramente a criação de parques de estacionamento para bicicletas seguros e confortáveis, junto das Câmaras Municipais, interfaces de transportes públicos, serviços públicos e empresas;

– Iniciar um programa cofinanciado pela administração central e local para a inclusão da bicicleta nos conteúdos escolares;

– Prever financiamento para dotar as escolas de estacionamentos para bicicletas dentro do espaço escolar para que sejam seguros e confortáveis;

– Incentivo financeiro às empresas e instituições de ensino a promoverem o uso da bicicleta entre os seus trabalhadores/alunos, seja nas viagens casa-trabalho/escola, seja para estafeta/logística ou deslocações no âmbito de trabalho;

– Incentivo financeiro às empresas e instituições de ensino para criarem condições para o uso da bicicleta com estacionamento seguro, balneários, flexibilização de horários, disponibilização de bicicletas, entre outros.

* Presidente da direção da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB).

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.