Universidade de Aveiro / 45 anos : Reitor reafirma vocação para gerar “conhecimento”

1159
Universidade de Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

O reitor da Universidade de Aveiro (UA) invocou palavras do primeiro titular do cargo para projetar o futuro da instituição de ensino superior público que celebra agora 45 anos.

Numa entrevista, Vitor Gil, já falecido, recordou que em 1973 “as empresas estavam famintas de especialistas, carentes de novas metodologias e ávidas por futuros alicerçados na investigação”.

“Nesta aspeto a realidade de hoje é muito semelhante”, constatou Paulo Jorge Ferreira, que tomou posse em maio passado.

“As empresas continuam ávidas de conhecimento e o conhecimento é hoje crucial para o desenvolvimento, não só das empresas como do país e da sociedade”, acrescentou.

O reitor da UA aproveitou para anunciar o lançamento “em breve” de um novo programa doutoral de “caráter inovador” que mereceu o interesse de empresas como a Amorim, a Fepsa, a Levira, a Oliveira & Irmão, a Prifer ou a Simoldes.

A internacionalização, a globalização e a transformação digital abriu o mundo mas trouxe desafios novos a que a UA também deseja dar atenção.

“Estamos na era da informação mas também na era da desinformação, rodeados de notícias e falsidades, um mundo interligado, em que saúde, política, direito, banca, finanças, comunicação, jornalismo e transportes estão mutação”, referiu o reitor.

Assim, “para melhor entender a transformação digital”, a UA vai criar com o patrocínio de empresas e entidades externas como a ANACOM e a
Deloitte uma cátedra convidada em “filosofia do digital e desinformação”.

A universidade deseja “continuar a promover a modelar relação entre todos”, estando a prepara abertura de mais um espaço de estudo “E24” até final do ano.

A reitoria irá também abrir “a gestão à participação de todos”, tendo organizado reuniões abertas, assim como visitas aos departamentos e escolas.

A melhoria das condições para a prática desportiva tem sido outra prioridade, com novos desafios. A Associação de Basquetebol de Aveiro, por exemplo, propôs ofertas bolsas de estudo para alunos do primeiro ano, “sinal que estamos bem acompanhados e no bom caminho”, sublinhou Paulo Jorge Ferreira.

A terminar anunciou ainda “uma estreia na frente cultural” com a UA a participar na mostra do aniversário da Livraria Lello, “um palco de grande visibilidade” para apresentar espólio diverso. Serão incluidos bens do maestro Frederico de Freitas, exemplares da coleção de discos de goma-laca de 78 rpm do colecionador e editor José Moças e instrumentos doados por Domingo Capela.

O aniversário da criação (a primeira comissão instaladora tomou posse perante o então ministro Veiga Simão a 15 de dezembro de 1973) ficou marcado, ainda, pela homenagem a cinco dos seis primeiros alunos da UA (curso de engenharia de telecomunicações), a entrega dos prémios aos melhores alunos e ao vencedor do Prémio Literário Aldónio Gomes.

Discurso direto

“Consideramos que foi um laboratório, valeu a pena, porque nos preparou e permitiu trabalhar nas várias áreas das telecomunicações” – Etelvina Correia Baltazar, do grupo de primeiros alunos a completar o bacherelato em Engenharia de Telecomunicações, primeiro curso da Universidade de Aveiro (ouvir intervenção completa abaixo)

Informação sobre a história da criação da Universidade de Aveiro