UA explica relevância de pradarias marinhas e sapais na mitigação de alterações climáticas

313
dav

O trabalho de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) está a contribuir para sustentar a relevância das pradarias marinhas e dos sapais para o sequestro de carbono, ajudando Portugal a chegar à “neutralidade carbónica” em 2050, tal como o país se comprometeu internacionalmente.

A petição promovida pela associação Ocean Alive procura apoios para uma Recomendação ao governo. Dia 26 de junho contava já mais de 600 assinaturas.

A extensa área de sapais e de pradarias marinhas nesta lagoa costeira que integra a Rede Natura 2000, faz com que a Ria tenha um papel “extremamente importante”, explica a investigadora Ana Sousa, que tem desenvolvido, em colaboração com outros investigadores, vários estudos sobre este tema.

Continuar a ler artigo no site UA.pt.

Publicidade, Serviços & Donativos