Turismo náutico, comércio, serviços e alguma habitação na antiga lota

815
Antiga lota de Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

A autarquia de Aveiro confinua a aguardar desenvolvimentos, da parte do Governo, quando à pretensão de assumir a gestão dos espaços da antiga lota e da baía de São Jacinto para lançar projetos no âmbito do turismo náutico.

O presidente Ribau Esteves foi questionado no decorrer da última Assembleia Municipal, sexta-feira passada.

A edilidade, segundo explicou, espera chegar a acordo “seja por negociação direta, seja pela descentralização sectorial”, que poderá entrar em vigor até ao final do anonou inícios de 2019.

Para a antiga lota, propriedade do Porto de Aveiro, logo que esteja “nas mãos” do município, os planos passam, antes de mais, por uma “operação profunda de limpeza”.

É urgente fazer uma “limpeza imediata de lixos” e depois algumas obras, como a regularização dos passeios frente ria emelhoramento dos acesso viário.

Ao mesmo tempo, a autarquia espera “desenvolver trabalho com quem lá está”, ou seja associações ligadas à náutica de recreio e desporto que ocupam instalações e equipamentos.

Ribau Esteves pretende lançar também “uma interação com o mercado” para colocar “em desenvolvimento operações ee investimento que tirem proveito daquele lugar extraordinário”.

A antiga lota poderá, assim, tornar-se um pólo com atividades ligadas ao comércio e serviços,”em primeira instância, e também, mas não de forma prevalcente, habitação.

Um modelo urbanístico já desenhado para a zona em propostas anteriormente estudadas que não conheceram avanços. Ficaram, também, sem interessados, as tentativas de venda por parte do Porto de Aveiro.