Saiba em que circunstâncias será mais provável vir a recorrer aos serviços de uma financeira

660
Pixabay/Pexels.

Nem todos temos o capital financeiro que nos permite resolver todo e qualquer potencial embaraço, necessidade ou desejo que a vida nos apresenta.

Quando o Euromilhões insiste em não sair e a poupança não é mais do que uma miragem, entram em campo os bancos e financeiras que, através das suas soluções de crédito, nos permitem resolver um assunto pendente ou dar corpo a um projeto de forma simples e rápida.

Dito isto, vamos agora conhecer as principais circunstâncias em que uma financeira de crédito é chamada a ajudar os consumidores portugueses.

Motivos fundamentais para recorrer aos serviços de uma financeira

  • Remodelação da casa

O parque habitacional português está em muito más condições, mas, devido aos preços elevados dos materiais, a maior parte dos portugueses não tem capacidade económica para realizar as obras de que as suas casas carecem para serem energeticamente mais eficientes.

De modo a ajudar os agregados familiares nesta tarefa de viverem em condições mais confortáveis, existem determinadas financeiras que oferecem aquilo que é conhecido como crédito para obras.

Apesar de o cliente estar sujeito a apresentar um orçamento das obras que pretende realizar, este tipo de crédito oferece-lhe isenção do pagamento de comissão de abertura, possibilidade de obter financiamento entre 5 mil e 50 mil euros, prazos de reembolso alargados que vão dos 24 aos 84 meses e taxas (TAN) de 11,10% a 12,10%.

  • Compra de mobiliário, decoração e eletrodomésticos

Dar uma nova alma à sua casa não passa unicamente pela renovação do telhado ou colocação de capoto nas paredes exteriores. O mobiliário, a decoração e os eletrodomésticos também merecem um olhar atento da nossa parte, mas, tal como as obras no exterior, têm um peso financeiro assinalável, especialmente agora, em tempos de alta inflação.

Neste sentido, são oferecidas aos consumidores duas soluções que acabam por se complementar: o crédito para mobiliário e decoração e o crédito para eletrodomésticos.

Sem a necessidade de apresentar orçamento ou pagamento de comissões de abertura, estes dois créditos oferecem financiamentos que vão dos 3 mil aos 30 mil euros, prazos de reembolso entre 18 a 60 meses e taxas (TAN) de 10,55% a 11,90%.

  • Troca de carro

O preço dos combustíveis fósseis e a procura de soluções menos poluentes tem levado a um forte crescimento das vendas de automóveis elétricos e híbridos novos e usados por parte dos portugueses. Contudo, face aos substanciais preços que estas viaturas ainda apresentam, a melhor solução para a sua compra tende a ser o crédito automóvel.

Em traços gerais, este crédito pessoal com a finalidade de adquirir um carro novo ou usado apresenta montantes de financiamento que variam entre os 7500 e os 75 mil euros, prazos de reembolso de 30 a 120 meses, seguro automóvel com a cobertura que mais convier ao cliente, TAN de 6,05% a 10,25% e TAEG de 8,20% a 13,19% e flexibilidade na escolha da data de débito da prestação mensal.

  • Pagamento de despesas

Os imprevistos acontecem, levando a que, não raras vezes, nos deparemos com uma despesa demasiado alta para as nossas posses do momento.

Nestas alturas em que procuramos uma rápida solução financeira para os nossos problemas, é inevitável o pensamento não se deter no crédito pessoal sem finalidade.

Tal como o nome indica, este crédito pode ser utilizado naquilo que o cliente bem entender e apresenta prazos de reembolso do financiamento entre os 24 e os 84 meses para montantes que vão dos 200 aos 75 mil euros.

Em certas situações, a solução de crédito pessoal apresenta valores de financiamento que se situam entre os 5 mil e os 75 mil euros (TAN a partir de 4,99% e TAEG a partir de 9,24%), prazos entre os 24 e os 84 meses e possibilidade de contratação 100% digital, simples e rápida.

  • Fazer férias

Depois de um ano de trabalho, o corpo e a mente pedem descanso longe de casa e do trabalho. Porém, tudo isto tem um custo, um custo que uma grande parte dos portugueses tende a pagar com recurso ao crédito para férias.

Destinado a quem, entre outras coisas, pretenda comprar bilhetes de avião, fazer um cruzeiro ou, simplesmente, alugar uma casa de férias, um crédito para férias oferece-lhe um financiamento até 10 mil euros que poderá pagar entre um e cinco anos com total flexibilidade na escolha da data do débito da prestação e isenção do pagamento da comissão de abertura.

Publicidade, serviços e donativos

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços em NotíciasdeAveiro.pt.

Aceder a plataforma online.

O Notícias de Aveiro tem canais próprios para informação não jornalística como é o caso deste artigo »» ler estatuto editorial.