S. João da Madeira / Marroquinaria: Belcinto aplica modelo de formação ‘Fábricas-Escola’

438
Belcinto.

“Colocar as empresas na frente do processo formativo”. É este o objetivo do Learning Factories, um projeto europeu de formação integrado no Erasmus+. A  empresa de marroquinaria Belcinto, com fábrica em São João da Madeira, vai ser coordenadora pela primeira vez, contando com apoio do Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP), sediado também na ‘cidade do labor’.

Jornal APICCAPS *

Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o jornal online NotíciasdeAveiro.pt gratuito.

Dar mais protagonismo às empresas, permitindo-lhes serem elas a organizar e a pensar a formação que lhes interessa é o grande fundamento deste projeto. De acordo com Rita Souto, responsável de formação do CTCP, “as empresas têm capacidade para serem responsáveis pelo seu processo formativo. Assim, podem organizar formações de acordo com as suas necessidades, conhecem melhor os processos e as pessoas”. A responsável do CTCP defende que as “empresas acabam por ter um maior comprometimento com o processo e deixam de ser agentes passivos, para passarem a ser os protagonistas”.

Para além de novos programas de formação de curta duração e novos conteúdos formativos, pretende-se “desenvolver um modelo formativo diferente em que empresas e entidades formadoras trabalhem mais em cooperação” para obter a formação que mais lhes interessa. Este tipo de projetos vai ao encontro do defendido pelo Plano Estratégico do Cluster do Calçado 2030. No Eixo 1, Qualificação de Pessoas, pode ler-se que a “capacitação dos recursos humanos do cluster não é algo que possa ser feito sem o envolvimento das empresas. Importa que as atividades de capacitação a desenvolver vão ao encontro das suas necessidades e isso exige, no mínimo, a sua atenta auscultação. Mas, nalguns casos, que se pretendem incentivar, as empresas estão em condições de assumir a responsabilidade por organizar internamente as suas próprias atividades de formação, tornando-se verdadeiras learning factories”.

O projeto surge como continuidade do LEIA, um projeto igualmente Erasmus + e que foi considerado uma Boa Prática em 2024, no seu tipo de projetos, um dos três melhores projetos premiados em 2024.

É a primeira vez que a empresa é coordenadora de um projeto Erasmus. “No anterior projeto, onde estávamos como parceiros, fomos desafiados pela Agência Erasmus a concorrer como promotores, para que aparecessem novos nomes a liderar estes projetos, e sempre tivemos alguns sonhos que gostávamos de ver concretizados. O projeto das Fábricas-Escola é algo que nos alicia muito”, referiu a gestora Ana Maria Vasconcelos. Depois de ter integrado o projeto LEIA, onde o CTCP era o coordenador, neste Learning Factories, a Belcinto assume o papel de coordenação enquanto o CTCP é um dos muitos parceiros.

* Continuar para ler artigo completo.

Siga o canal NotíciasdeAveiro.pt no WhatsApp.

Publicidade e serviços

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais no jornal online NotíciasdeAveiro.pt, assim como requisitar outros serviços. Consultar informação para incluir publicidade online.