Rua Direita de Verba e ‘ponte do laço’ vão para obras

1617
Ponte do laço, Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Câmara de Aveiro, reunião em sessão pública, esta quinta-feira, deu andamento a uma série de investimentos municipais que rondam 2,2 milhões de euros.

Grande parte da verba, cerca de 1,6 milhões de euros, diz respeito à adjudicação da empreitada de reabilitação do edifício Fernando Távora. O prazo de execução previsto é de 365 dias.

Uma obra integrada no programa de regeneração urbana PEDUCA.

A Câmara prevê “abrir o rés-do-chão do edifício ao público de forma livre e reformular os seus espaços interiores para receber os serviços de biblioteca, bem como criar um espaço de promoção de Aveiro e da sua atividade económica, através de zonas de co-work e de apoio aos investidores e aos empreendedores.”

O executivo tomou conhecimento da abertura de concurso público para a reabilitação da Rua Direita de Verba, com valor base de 375.355 euros e um prazo de execução previsto de 150 dias.

A recuperação prevê a instalação da rede de gás natural numa extensão de 390 metros, para além das infraestruturas de águas pluviais ao longo de todo o traçado.

A rua “é um eixo transversal periférico à cidade de Aveiro de muita relevância, ligando as povoações de Nariz e Póvoa do Valado à zona este dos municípios de Vagos e Ílhavo, assim como à povoação da Palhaça no município de Oliveira do Bairro”, recorda a Câmara em comunicado ao abordar esta empreitada tida como “de muita importância para o desenvolvimento do município ao nível sócio-económico, cultural e turístico, e do bem-estar e segurança” na circulação rodoviária, ciclável e pedonal.

A Câmara ratificou também a adjudicação da reabilitação da ‘ponte do laço’. A empreitada de 249.720 euros tem um prazo de execução de 150 dias.

“Após o estudo e levantamento das anomalias construtivas” da ponte circular pesonal sobre os canais de São Roque e dos Botirões, tornou-se necessário a reparação e pintura da estrutura metálica, devido a problemas de corrosão.

“O apodrecimento das madeiras do pavimento circulante e a deterioração por vandalismo dos guarda-copos em vidro, são outras das intervenções necessárias no tabuleiro da ponte. Serão também substituídas as luminárias existentes”, informa a edilidade.

Comercio 780