Ribau Esteves não tem legitimidade política para esburacar o Rossio

3531
Debate televisivo autárquicas 2017.

Não existe nenhum elemento na campanha eleitoral onde a candidatura PSD/CDS assume a opção do estacionamento.

João Moniz *

A luta contra a construção de um parque de estacionamento no Rossio assumiu centralidade no debate político, em Aveiro. Este projeto de Ribau Esteves expõe as opções políticas da direita para Aveiro: o investimento público é condicionado pelas vontades e interesses dos investidores privados, em detrimento e às custas dos serviços públicos. É por isso que é tão importante derrotar o estacionamento subterrâneo.

O Bloco de Esquerda acompanha esta luta. Inscrevemos no nosso programa eleitoral a sua rejeição. Dedicámos-lhe o primeiro dia de campanha oficial. A rejeição da cave no Rossio foi um compromisso que assumimos com os Aveirenses. Em sequência apresentamos até agora a única proposta para rejeição da sua construção.

Existem vários motivos para a oposição à obra. Ribau Esteves quis tornar central apenas um argumento: a falta de legitimidade. Durante o debate da proposta, o Presidente da Câmara decidiu fugir a qualquer discussão. Mas antes, enviou um mail a todos os deputados municipais a justificar-se.

O referido email continha dois elementos: uma página do boletim informativo da Câmara Municipal (junho 2017) e uma página do Diário de Aveiro (26/09/17). Procura assim o edil justificar que antes assumiu o compromisso eleitoral de construir o estacionamento, mas falhou nesse esforço.

Antes de mais, apresentar um boletim informativo como sendo um elemento da campanha eleitoral do PSD/CDS demonstra um total aproveitamento político e mostra como a autarquia mostra esse jornal que é pago com o dinheiro de todos nós. Em todo o caso, o texto em causa era omisso e não assume a obra como opção inequívoca.

Em relação à notícia do Diário de Aveiro, a mesma mostra que o estacionamento foi de facto tema na campanha eleitoral mas que Ribau Esteves em momento nenhum, nem mesmo nesse texto, assume a opção de construção da obra.

Vamos aos factos.

Não existe nenhum elemento na campanha eleitoral onde a candidatura PSD/CDS assume a opção do estacionamento. Ribau Esteves sempre se tentou esquivar à pergunta. Mais, no debate do Jornal de Notícias esse foi um dos temas e a resposta foi “Não temos soluções fechadas” tal como mostra a imagem que ilustra este artigo.

Apesar de ser um tema central em campanha, a candidatura PSD/CDS escolheu não assumir e não sufragar a sua realização.

O email do Presidente da Câmara não responde sequer à totalidade da falta de legitimidade política de que padece para a construção desta obra. A Câmara Municipal fez sessões públicas participativas e parceria com associações. Em todas essas sessões, repito, em todas essas sessões, a avaliação e intervenção dos cidadãos foi no sentido de rejeitar a cave. O mesmo se repetiu em múltiplas sessões da AM, quando os cidadãos e cidadãs tiveram oportunidade de intervir. O processo participativo só pode ser considerado realmente participativo e consequente se as decisões públicas tiverem o reflexo dessa participação.

Ribau Esteves não contestou a falta de legitimidade política para executar uma obra cujo processo participativo promovido pela autarquia a rejeita totalmente. Falhou igualmente quando tentou mostrar que assumiu a obra em campanha eleitoral. Falhou duplamente apenas por uma razão: não dispõe de legitimidade política para avançar com esta opção.

Em relação ao estacionamento em cave no Rossio, Ribau Esteves não podia estar mais isolado. Aliás, isso ficou bem patente no que disse na Assembleia Municipal vendo-se obrigado a justificar-se: o estacionamento “não é maluqueira do presidente”.

O Presidente da Câmara não pode meter lixo a vontade dos Aveirenses.

* Membro do Bloco de Esquerda de Aveiro na lista da Assembleia Municipal.

Publicidade, Serviços & Donativos