Requalificação sem debate público manterá deserto de vivências no Centro de Ílhavo

1043
Jardim Henriqueta Maia, Ílhavo.

Os Vereadores eleitos pelo Partido Socialista, Eduardo Conde, Sérgio Lopes e Sara Pinho, protestaram em recente reunião da Câmara Municipal de Ílhavo pela ausência de debate público em torno dos projectos de requalificação do Centro de Ílhavo, designadamente no Jardim Henriqueta Maia, e sua envolvente, e no parque da Malhada.

Eduardo Conde lamentou que a apresentação de um estudo preliminar no passado mês de dezembro não tenha representado mais que uma encenação de uma eventual abertura, por parte da maioria PSD, a um processo de participação pública que contribuísse para consolidar o projeto final.

A verdade é que, no entendimento dos autarcas do PS, a maioria PSD apresenta agora um ante-projeto em tudo semelhante ao que guiava o estudo preliminar, ignorando as questões colocadas pelos Vereadores do PS aquando do debate inicial.

Os Vereadores do PS mantêm reservas em relação às soluções apresentas. Defenderam que o ante-projeto continua a oferecer as dúvidas registadas no estudo preliminar.

Ainda que tenham manifestado concordância com os princípios que aparentemente lhe estão subjacentes – de criação de uma praça de eventos, dado o falhanço da praça do Centro Cultural; de reforço dos espaços verdes, dada a razia operada aquando da última requalificação; de reforço das condições de circulação pedonal e ciclável em detrimento do intenso fluxo rodoviário, de melhor aproveitamento do parque da Malhada, libertando-o de um recinto de mini-golfe que se revelou perfeitamente inútil – apresentaram dúvidas quanto aos métodos encontrados para operacionalizar essas vontades.

O PS apelou à maioria PSD que recue na metodologia adoptada, que aproveite o período de até à elaboração do projeto final para, finalmente, juntar ao trabalho de gabinete o necessário diálogo com a população.

Eduardo Conde sublinhou que “existem demasiadas dúvidas e muitas reservas quanto à proposta. É possível bem melhor e convém não esquecer que é com a ausência das populações no inicio dos processos que se garante o deserto nas vivências da centralidade da cidade.”

Partido Socialista de Ílhavo