Programa de recuperação aposta em investimento “reprodutivo” – ministro da Economia

787
Sessão de abertura da Aveiro Tech Week.
Smartfire 728×90 – 1

Na véspera do Governo aprovar “o primeiro esboço” do Programa de Recuperação e Resiliência Nacional, que irá ser apresentado na Comissão Europeia esta quarta-feira, o ministro da Economia e da Transição Digital aproveitou a abertura da Aveiro Tech Week, um evento tecnológico, ao final da tarde, para enfatizar a estratégia subjacente.

O contributo nacional a dar no âmbito do Programa de Recuperação Europeu, explicou Pedro Siza Vieira, “não se destina a financiar o estudo, nem se destina a responder exclusivamente à crise, destina-se a investir no nosso futuro, a financiar reformas para o país colocar-se num patamar diferente de desenvolvimento e de crescimento”.

Portugal, acrescentou o governante, tem “orientações claras” da União Europeia “para participarmos num esforço europeu para construir uma sociedade mais inclusiva, mais resistente às crises e mais adaptada ao duplo paradigma da transição ecológica e digital.

Os apoios (cerca de 13 mil milhões de euros) destinam-se a reparar os danos económicos e sociais causados pela pandemia do coronavírus através da recuperação da economia e proteção de postos de trabalho.

“Na conceção do nosso plano, estamos a olhar para medidas e investimentos que tenham, obviamente, impacto imediato de estímulo à economia, das empresas, das autarquias locais ou do Estado”, sublinhou Pedro Siza Vieira, adiantando que o Governo pretende que o investimento seja “reprodutivo e ajude a combater as fragilidades e vulnerabilidades da sociedade e a colocar a nossa economia num patamar crescente de produtividade”.

Serão criadas condições para“poder apostar” na transição digital de “forma a enfrentar os desafios do futuro”, disponíveis a cidades e regiões que “partilham características que encontramos em Aveiro”, identificou o ministro.

Aposta de Aveiro na qualificação e valorização “é modelo de desenvolvimento para o País”

“Este exemplo que aposta na qualificação e valorização do que se produz, que não se limita a tomador de tecnologia, que produz para o mundo, é o modelo de desenvolvimento que almejamos para o País”, afirmou Pedro Siza Vieira, considerando que “era um dever” estar na abertura da Aveiro Tech Week atendendo ao “percurso de décadas” feito pela cidade na área tecnológica, “que não interrompeu durante a pandemia”.

Discurso direto

“Quisemos partilhar o estado de maturidade de vários projetos e casos de estudo, que os parceiros e as star up estão a desenvolver no quadro da Aveiro Tech City. Temos um ecossistema muito especial e único, envolvendo parceiros fundamentais.
Estamos atentos para aproveitar as oportunidades dos fundos europeus. Do novo mecanismo europeu de recuperação e resiliência, esperemos que chegue cedo. É um quadro de oportunidades. Queremos dar o nosso contributo, atingir índices de coesão mais altos, subscrevendo as opções do Governo e Europa, mas a cuidar de infraestruturas básicas que o País ainda não tem. Não devemos transitar para as dimensões novas da energia e do digital sem qualificar, por exemplo, o nosso hospital” – Ribau Esteves, presidente da Câmara de Aveiro.

“A tecnologia faz-se todo o ano, agora celebramos. A pandemia obrigou-nos a focar mais os eventos, mas é bom realçar que a tecnologia está no sangue deste conjunto de players. A Universidade de Aveiro tem as suas inovações em outras áreas, por exemplo na química, no hidrogénio verde. Também nas áreas da cultura e saúde. Precisamos de avançar mais para colocarmos a tecnologia ao dispor, por exemplo através do Centro Académico Clínico, e que haja cada vez mais investimento na ciência e investigação” – Artur Soares da Silva, vice reitor da UA para a Investigação e Inovação.

“Estamos na grande referência de eventos tecnológicos do Pais, com novo formato e conceito, capacidade de reinvenção, vai ser um sucesso. Tinha de ser em Aveiro, capital da inovação e tecnologia, quartel general de Investigação & Desenvolvimento da Altice Labs para todo o mundo, sinónimo de pioneirismo, saber e conhecimento, com mais de 700 engenheiros de tecnologia de ponta, do mais evoluído, o ‘made in Aveiro’ chega a mais 60 países de cinco continentes.
Três exemplos desenvolvidos a partir de Aveiro: o wifi tecnologia 6 e já se trabalha no 7; a fibra ótica de referencia mundial, banda ultra larga, uma das três maiores tecnologias a nível mundial, em projetos e patentes; e o 5 G, hoje a preparar o 6 G para chegar dentro de uma década aos consumidores, trabalhamos para chegar na frente.
As telecomunicações não falharam durante o confinamento, custa-me ver que os privados não sejam reconhecidos” – Alexandre Fonseca, CEO da Altice.

Projetos de demonstração apresentados durante a abertura da Aveiro tech Week

Eva Drones » Demonstração de cão robot que entrega análises clínicas a um drone.

AllbeSmart » Dispositivo de realidade aumentada desenvolvido pela sob mentoria da Águas da Região de Aveiro (AdRA).

Apria Systems » Bicicleta a hidrogénio desenvolvida pela sob mentoria da Galp Gás Natural Distribuição.

Altice Labs » Sistema de alerta automático para os serviços de emergência em caso de acidente automóvel.

Instituto de Telecomunicações
Smart Parking

Artigos relacionados

Aveiro Tech Week nas ruas cidade

Criatech, uma semana de criatividade digital em Aveiro

Publicidade, Serviços & Donativos