Prisão efetiva para ladrão cadastrado que assaltou idosa

336
Palácio de Justiça, Aveiro.

Um homem foi hoje condenado pelo Tribunal de Aveiro a três anos e nove meses de prisão efetiva pelo roubo de uma setuagenária ocorrido num acesso à A17, na zona de Ílhavo.

A companheira e uma arguida, que participaram no assalto, levado a cabo em setembro de 2016, ficaram com as penas de ano e meio e dois anos e meio suspensas na sua execução, ainda que obrigadas a regime de prova e a inscrição no centro de emprego da área de residência.

A vítima foi perseguida pelos arguidos quando seguia a pé sozinha num local ermo e obrigada, com recurso a murros, a entregar o ouro que tinha (cordão, par de brincos e anéis) avaliado em cerca de 750 euros.

A mulher ainda resistiu, fechando as mãos para não ficar sem anéis, mas haveria de ceder em definitivo quando lhe foi exibida uma faca.

Os artigos foram vendidos, em parte, cerca de uma hora depois do assalto, numa loja em Aveiro. Os restantes tiveram o mesmo destino mas em Águeda. Ao todo, renderam quase 560 euros.

O homem envolvido no roubo tem cadastro e na altura estava em gozo de liberdade condicional. Acabou condenado com a agravante de reincidente.

O julgamento foi realizado na ausência de uma das arguidas. Os acusados pediram desculpa e alegaram que precisavam de dinheiro para comer.

O tribunal condenou o trio a pagar as custas da assistência hospitalar prestada à vítima, na ordem dos 300 euros.