Pela defesa da EN109 e pelo fim imediato das portagens na A29

1030
Protesto contra portagens na A29.
Comercio 780

Através de várias campanhas mas também de iniciativas políticas pela via institucional, nas Assembleias Municipais ou na Assembleia da República, o PCP tem dado voz às populações e utentes da rede rodoviária que têm sido sistematicamente lesados pela introdução de portagens nas ex-SCUTS, pois é evidente que decorridos estes anos neste processo houve quem perdesse, o Estado, a economia regional, os trabalhadores e a população em geral mas, também houve que ganhasse, as concessionárias, no caso concreto da região de Aveiro, onde se inclui Ovar, a Concessionária ASCENDI Costa de Prata cujo o negócio com o Estado foi desenhado de tal forma a que a concessionária obtenha apenas ganhos e nunca perdas.

Tem sido notório em Ovar, à imagem de outros concelhos da região de Aveiro, que a aplicação de portagens tem:
i) condicionado o desenvolvimento económico;
ii) conduzido o trânsito da A29 para a já sobrelotada Estrada Nacional 109 (EN109);
iii) prejudicado a mobilidade da população;
iv) lesado a acessibilidade aos serviços públicos;
v) degradado as condições de circulação em segurança pedonal e rodoviária na EN109 e;
vi) atribuído o custo de circulação às famílias quando toda a região e País ganhariam com a deslocação de parte deste tráfego para as autoestradas.

À semelhança de outros ataques a outras funções do Estado e ao interesse público, como já foi referido, o PCP de diversas formas e a vários níveis tem denunciado este negócio ruinoso e o seu impacto sobre o interesse público. Recorde-se:
– a visita da deputada do PCP na Assembleia da República, Diana Ferreira ao concelho de Ovar para anunciar em Ovar o “Projeto de Resolução – Eliminação das portagens na A28, A41 e A29” debatido no Parlamento e sujeito aos votos contra do PS, PSD, CDS-PP e PAN;
– entre múltiplas intervenções do PCP na Assembleia Municipal de Ovar a moção apresentada “Contra as portagens na A29” aprovada, ainda assim, com a abstenção do PPD-PSD;
– a luta reivindicativa “Pela segurança da população na EN109, na Ponte Nova” levada a cabo pela Comissão de Freguesia de São João de Ovar do PCP;
– entre outras intervenções, sublinham-se muitas daquelas que foram realizadas ao longo de várias campanhas eleitorais aos órgãos autárquicos.

Não obstante este património de intervenção, não tem havido a resposta necessária aos anseios dos utentes e da população por parte das forças que compõem a Assembleia da República. Também não tem havido uma intervenção decisiva e convicta por parte da maioria municipal do PPD-PSD que responda às legítimas aspirações populares, e neste sentido, a organização local do PCP desenvolveu mais uma ação de luta, desta vez uma marcha lenta e buzinão “pela defesa da EN109 e pelo fim imediato das portagens na A29”.

Esta iniciativa desenrolou-se na manhã de sábado, 23 de julho de 2022, ao longo da EN109 entre Válega e Esmoriz, contando com a presença de várias viaturas, ostentando cartazes e frases alusivas à iniciativa, desferindo um enorme buzinão contra a cumplicidade de PS, PSD, CDS e dos seus sucedâneos IL e CHEGA neste negócio danoso para os interesses das populações, assim como a sua inabilidade para mitigar os impactos locais decorrentes da introdução de portagens na A29.

A Comissão Concelhia de Ovar do PCP exige às devidas instâncias:
i) o fim imediato das portagens na A29, em toda a sua extensão;
ii) que se crie um processo de extinção das atuais Parcerias Público Privadas, recorrendo aos mecanismos legais e contratuais, conforme a situação aplicável;
iii) a melhoria da segurança da circulação rodoviária e pedonal na EN109, que pode passar por meios que garantam a redução de velocidade rodoviária, como sinalética horizontal e vertical, sinalética luminosa, lombas redutoras de velocidade e a criação de vias pedonais nomeadamente em pontos críticos como é o caso da Ponte Nova em São João de Ovar;
iv) a criação de vias rodoviárias alternativas municipais em pontos críticos na EN109 (por exemplo, na Ponte Nova em São João de Ovar);
v) a ligação da EN109 ao Restabelecimento 25, que permitiria aliviar o trânsito no troço Maceda-Ovar, que ainda não foi concretizada por não servir os interesses da Ascendi.

A Comissão Concelhia de Ovar do PCP

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.