O movimento Re-food

762
Refood Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

A 15 de abril de 2013 foi concedido à Re-food 4 Good o estatuto de Instituição Privada de Solidariedade Social.

Por Rosa Aparício *

A Re-food é uma organização independente, orientada por cidadãos e 100% voluntária que tem como Missão a eliminação do desperdício de alimentos e a fome, envolvendo toda a comunidade numa causa comum aspirando um mundo novo, onde todos tenham a comida de que necessitam.

Opera na e para a comunidade, trabalhando sem salários e evitado todo e qualquer custo ou investimentos que não sirvam a sua missão.

A ideia surgiu no final de 2010 e após um intenso trabalho de desenvolvimento, a 9 de março de 2011, o Projeto Re-food foi lançado realizando as primeiras recolhas de excedentes alimentares.

Contudo, com o aumento da participação popular, a eficiência operacional e os benefícios produzidos, surgiu a necessidade da criação da Re-food como associação. De facto, só assim seria sustentável continuar a desenvolver um projeto que estava a crescer a olhos vistos.

Neste contexto, a 18 de julho de 2011 surgiu a Associação Re-food 4 Good, associação sem fins lucrativos, com vista a servir o projeto existente.

No sentido da sua expansão, e com vista à aquisição do material necessário, a Re-food 4 Good candidatou-se à primeira edição do “Prémio Voluntariado Juvenil”, organizado e financiado pelo Banco Montepio, tendo conseguido o almejado prémio de 25.000€, que se traduziu no primeiro financiamento institucional ao projeto.

A 15 de abril de 2013 foi concedido à Re-food 4 Good o estatuto de Instituição Privada de Solidariedade Social (IPSS).

O célere crescimento do projeto, em 2015 o número de Centros de Operações que serviam a comunidade triplicou (passou de 8 para 24), levou à necessidade de se desenvolver uma estrutura com atuação nacional, regional e local.

A Re-food assenta a sua existência em valores como:

– Igualdade: porque acredita que todas as pessoas têm direito de ser alimentadas;

– Respeito: porque acredita nas relações humanas positivas, onde todos são respeitados;

– Inclusão: porque acredita que todas as pessoas e todos os recursos de cada comunidade são elementos essenciais e que todos devem ser convidados a desenvolver solidariedade comunitária;

-Sustentabilidade: porque considera e sente o impacto ambiental do seu trabalho na comunidade, respeitando a disponibilidade e contribuição de todos os envolvidos e procurando a auto sustentabilidade financeira e a transparência;

– Otimismo: porque acredita que, com boa vontade e esforço organizado, é possível acabar com desperdício de alimentos e a fome no mundo.

Com apenas duas (2) horas semanais, pode abraçar este projeto, tornando-se voluntario do Núcleo de Aveiro (refoodaveiro@gmail.com), proporcionando muitos sorrisos no rosto daqueles que, por qualquer motivo, a vida os têm privado de bens essenciais básicos como a alimentação.

* Re-Food Aveiro.