Nova Agrovouga retoma tradição com abordagem moderna ao sector

1505
Agrovouga 2019.
Smartfire 728×90 – 1

A Câmara de Aveiro vai investir cerca de 200 mil euros na “nova Agrovouga” que tem regresso marcado para 20 a 24 de Novembro próximo após seis anos de interregno , anunciou esta tarde o líder da edilidade durante uma conferência de imprensa.

Ao retomar o certame com carácter anual espera-se, por um lado, “manter a boa tradição” criada ao longo de 36 edições “que marcou um tempo do sector agropecuário e com boas fases no calendário nacional”, como lembrou Ribau Esteves.

A “nova Agrovouga” pretende, por outro lado, introduzir “uma abordagem diferente” que “acentua a tónica na agro sustentabilidade, numa relação diferente entre produção e consumo, entre a investigação e novos negócios da Terra”, com “uma lógica moderna, desde a imagem ao conceito, passando pelas vivências”.

Uma feira “para toda a gente” para “lutar entre o distanciamento entre o prato e a Terra e acabar com a separação entre campo e cidade”, de forma “a valorizar os espaços diferentes, entre a produção e consumo, em que o ser humano é o centro”, acrescentou o autarca.

O município assegura a organização da feira com dezenas de parceiros, entre entidades oficiais, movimento associativo e empresas. A escolha da data procurou ganhar um “quadro relevante” no calendário nacional, atendendo, também, à ocupação do recinto municipal de feiras, já muito preenchido.

O investimento “estratégico” num certame “comercial, promocional e de qualificação profissional” que dá relevo a um sector importante na região, perspetiva a Câmara, “irá ter retorno ao longo dos anos”.

Agro sustentabilidade “é uma das ideias centrais”

A agro sustentabilidade “é uma das ideias centrais” da renovada Agrovouga, com “personalidade diferente, nova, distinta, que complemente outras boas feiras da agricultura que existem de norte a sul”.

A agricultura biológica, a agricultura em casa, a floricultura e a jardinagem, as boas práticas agrícolas e a alimentação saudável têm lugar relevante no certame que irá continuar a dar especial destaque também às raças de gado bovino autóctones, como a Marinhoa, característica do Baixo Vouga.

Além de uma mostra de produtos biológicos, a Agrovouga quer ser dar palco às confrarias gastronómicas, tornando-se “um espaço de encontro e partilha do trabalho notável das confrarias”.

A investigação florestal, que tem um núcleo ativo na região, os novos negócios da terra (ambiente, energias renováveis, etc), os produtos da pesca (ria e mar), o sector equestre, o vinho e o turismo fazem parte também das 12 áreas com atividades no programa que incluirá ainda worshops temáticos.

Press com mais informação sobre a Agrovouga

Primeira edição da Agrovouga remonta a 1976

Em 1972 inaugurou-se em Aveiro a I Feira-Exposição Agro-Pecuária, que se prolongou por alguns dias. Em 11 de Setembro de 1976 abriria o mesmo certame anual, mas com o nome de Agrovouga/76. Em 5 de Julho de 1979, um despacho ministerial outorgar-lhe-ia também a categoria de ‘Concurso Nacional do Gado Bovino Leiteiro’.

Publicidade, Serviços & Donativos