Mulher nega burlas a viúvas

321
Tribunal de Aveiro.

Uma mulher de 48 anos acusada de burlar três idosas viúvas residentes em Aveiro, a quem dava acompanhamento, apresentou-se pela primeira vez em tribunal, esta sexta-feira, já com o julgamento na reta final.

A arguida, moradora em Vagos, atualmente sem ocupação profissional, alegou motivo de doença para não comparecer no julgamento.

Confrontada pela juíza presidente com a acusação, negou os factos imputados, garantindo que recebeu “empréstimos” das otogenárias e “nunca” ficou com quantias indevidamente. Por isso, o suposto “esquema engendrado” para ganhar confiança junto das três idosas (uma já faleceu) “é tudo mentira”.

De uma das senhoras que tratava, com quem terá levantado 15 mil euros no banco, assumiu ter recebido 3.080 euros, mas que ficara de reembolsar “quando pudesse”, o que não sucedeu até agora.

O dinheiro terá sido “facilitado” quando se queixou que outra idosa ao seu cuidado, que considerava “uma mãe”, por conhecer desde jovem, estava em dívida pelas horas despendidas. “Nunca me pagou o trabalho, de Maio a Dezembro”, referiu ao tribunal.

A arguida é acusada de ter enganado a otogenária, conseguindo receber 4650 euros alegando que precisava do dinheiro para tratar de uma suposta herança de 14 milhões de euros deixada por uma tia que morrera em França.

Ao todo, estarão em causa cerca de 23 mil euros desviados das contas das ofendidas.

A arguida tem antecedentes criminais, incluindo condenação e pena suspensa por crimes de burlas e difamação (2012 e 2015) em situações idênticas.

Artigo relacionado

Acusada de burlar idosas falta a novo julgamento

Publicidade, Serviços & Donativos