“Muita determinação, com profissionalismo e espírito de missão”

1101
Estandarte do Comando Territorial de Aveiro da GNR.
Dreamweb 728×90 – Video I

A maior segurança da comunidade que servimos é para nós um desígnio, tudo faremos para que a Guarda seja cada vez mais Próxima Humana e de Confiança, para que seja considerada credível pelas pessoas.

Por Coronel Maximiano Vaz Alves *

Comemoramos, nesta cerimónia, pela 11ª vez, o dia 10 de novembro, dia do Comando Territorial de Aveiro da Guarda Nacional Republicana, data que assinala a chegada da Guarda Nacional Republicana à cidade de Aveiro, corria o ano de 1917, foi determinada a implantação imediata da 2.ª Companhia do então Batalhão n.º 4, previsto ficar sedeado em Viseu, com base na Lei n.º 1, do ano de 1913, do Ministério do Interior.

Volvidos 102 anos de história, marcados por profundas transformações, progressivo crescimento e modernização, que conduziram até hoje os destinos da presença da Guarda no distrito de Aveiro, tornando-a numa força de segurança capaz de acompanhar a evolução social e de se atualizar para garantir melhor segurança da sociedade que serve.

Continuamos hoje, com muita determinação, com profissionalismo e espírito de missão a trabalhar, para que os cidadãos que servimos, se sintam em segurança e tenham orgulho na Guarda, pela qualidade do serviço que lhes presta. Temos consciência das dificuldades e desafios que temos de enfrentar, mas estamos cientes, de que com determinação e permanente cooperação, sentido de responsabilidade e de missão, contribuiremos para a construção de uma sociedade melhor, mais justa e com mais segurança em todos os domínios.

O Comando Territorial de Aveiro, tem a responsabilidade duma área de grande exigência, contudo, tem militares bem formados, muito motivados, com elevado profissionalismo e espírito de missão, que estão preparados e prontos para dar resposta às permanentes solicitações decorrentes da atividade operacional, tendo como farol o cumprimento da missão da Guarda, que nos confere o dever de garantir a segurança e apoio das populações à nossa responsabilidade.

A maior segurança da comunidade que servimos é para nós um desígnio, tudo faremos para que a Guarda seja cada vez mais Próxima Humana e de Confiança, para que seja considerada credível pelas pessoas.

Quero, também, fazer um balanço da atividade operacional, desenvolvida pela Unidade, tendo por base valores reportados até 31 de outubro de 2019.

No âmbito da criminalidade geral, foram registados 11.751 crimes.
No âmbito de polícia geral foram elaborados 1.696 autos de contraordenação.
No âmbito da criminalidade violenta registaram-se 206 crimes. Resultante da criminalidade referida, foram efetuadas 2.892 detenções, apreendidas 245 armas e 6.232 munições.

No âmbito da violência doméstica, foram registados 1.338 autos de denúncia e detidos 28 agressores.

No âmbito da fiscalização rodoviária foram registados 2.294 crimes, 1.459 por condução com álcool, 482 por falta de habilitação legal e 353 por outros motivos, e efetuados 46.256 autos de contraordenação por infrações rodoviárias.

Em relação à sinistralidade rodoviária, registamos 6.630 acidentes de viação, dos quais resultaram 24 vítimas mortais, 103 feridos graves e 2.143 feridos leves.

Foram efetuadas 51.538 patrulhas, sendo 44.947 auto, 1.644 moto, 70 cino e 4.745 apeadas.

No âmbito da Proteção da Natureza e do Ambiente, foram efetuadas 9.839 fiscalizações, registados 43 crimes e 987 contraordenações. Foram realizadas 3.590 patrulhas e recebidas 2.193 denúncias via linha SOS e Ambiente. Foram registados 416 incêndios, validada uma área ardida de 2.908 hectares, tendo sido detidos 03 autores e identificados 26 suspeitos de fogo posto.

Estes dados estatísticos, apenas refletem uma pequena parte do trabalho operacional desenvolvido, mas permitem obter uma noção do volume de serviço que, diariamente, é efetuado pelos militares que prestam serviço na Unidade, porém, existe uma panóplia de serviços operacionais e administrativos, que não foram aqui referidos, mas que são, também, de primordial importância, para garantir a segurança da sociedade que servimos.

Militares e Civis do Comando Territorial de Aveiro. tenho por todos os que servem na Unidade sob o meu comando, uma enorme consideração, pois sois um exemplo de bem servir e de generosidade, porque desempenhais zelosamente, com empenho e abnegação todas as tarefas que vos são atribuídas, revelando saber, profissionalismo e espírito de missão, e uma incondicional dedicação à causa pública, muitas vezes com sacrifício pessoal e familiar.

Neste ato público presto-vos uma justa homenagem, de grande apreço e reconhecimento pelo trabalho que diariamente desenvolveis, para a prevenção de infrações, de contraordenações e de crimes e, para garantir a segurança rodoviária e ambiental, a segurança das pessoas e dos seus bens, com destaque para a proteção das vítimas mais vulneráveis, enfrentando e ultrapassando todas as adversidades. Pelo que sinto uma elevada honra e um privilégio por ser o vosso Comandante.

Lembro todos os militares que durante o serviço sofreram acidentes e lesões de vária ordem, especialmente os que, de forma inaceitável, foram agredidos e, desejo aos que ainda estão convalescentes, que recuperem rapidamente.

Deixo uma palavra de pesar às famílias do, Cabo Gonçalves, do Cabo Brito e do Cabo Eusébio que faleceram devido a doença e do Guarda Moura que faleceu vitima de acidente, todos ainda no serviço ativo, que muito novos nos deixaram nesta caminhada, mas continuam sempre connosco.

Exorto-vos a continuarem com a mesma determinação, que os camaradas que nos deixaram, a honrar a divisa da nossa Unidade, “Lestos Ria Acima Ria Abaixo” em prol da segurança da comunidade que servimos.

Tendo sempre presente a condição de verdadeiros servidores da causa pública, conscientes das inúmeras dificuldades que surgem no desempenho da função que temos atribuída, dificuldades que consideramos ultrapassáveis e encaramos como fazendo parte do caminho para alcançar os objetivos, confio em vós, na vossa competência, saber, lealdade, dedicação e profissionalismo, para cumprir a missão da Unidade e da Guarda, fazendo jus ao lema “Pela Lei e Pela Grei”.

Maximiano Vaz Alves,
Coronel.

* Comandante do Comando Territorial de Aveiro da GNR, discurso na sessão comemorativa do 11º aniversário do Comando.

Publicidade, Serviços & Donativos