Mastro de veleiro volta a cortar cabo de alta tensão do forte da Barra

1115
Imagem MARIA (Facebook).
Smartfire 728×90 – 1

Registou-se mais um incidente com veleiros que navegam entre o forte e a praia da Barra, na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo.

“O inevitável voltou ontem a acontecer quando o mastro de um veleiro dinamarquês embateu e derrubou os cabos de alta tensão”, alerta o Movimento de Amigos da Ria de Aveiro (MARIA).

Segundo a nota de imprensa, “trata-se de uma situação recorrente, que aconteceu três vezes nos últimos dois anos e que importa corrigir o mais rapidamente possível, garantindo o acesso em segurança à zona do Oudinot às embarcações à vela que nos demandam.”

Para o MARIA, a Ria “não se pode fechar a quem nos quer visitar por falta de condições mínimas de segurança para a entrada de embarcações à vela com mais de 15 metros.”

A existência de um cabo de alta tensão a cruzar o canal é visto como “um constrangimento completamente ultrapassável se houver boa vontade da REN, da EDP, do Porto de Aveiro e da Câmara Municipal de Ílhavo.”

O MARIA considera que a marina da AVELA, na antiga lota de Aveiro, “poderia ser uma alternativa para quem nos visita e pretende permanecer uns dias entre nós, mas os constrangimentos são exatamente os mesmos.”

A existência de um cabo de alta tensão, que atravessa o canal de acesso à marina, condiciona igualmente a navegação das embarcações oceânicas à vela com comprimento superior a 15 metros.

“Se tivéssemos boas condições de acesso à nossa Ria e uma infraestrutura mínima de apoio ao tráfego oceânico de veleiros, estamos certos que conseguiríamos captar uma parte significativa dos cerca de seis mil barcos de recreio que cruzam o Atlântico todos os anos”, lembra o movimento.

Publicidade, Serviços & Donativos