Locais abandonados ou esquecidos de Sever do Vouga

11602
Antigas Minas do Braçal, Sever do Vouga (foto de Vasco Figueiras).
Smartfire 728×90 – 1

Se visitar algum lugar abandonado siga as regras, não destrua, não roube, não ao grafiti ordinário, não deixe lixo, porque o universo não se esquece dos nossos actos.

Por Vasco Figueiras *

Complexo mineiro do Braçal

O complexo mineiro do Braçal (que inclui as minas do Braçal, Malhada e Coval da Mó) no rio Mau permitiu a exploração de um dos maiores jazigos mineiros da região de Aveiro.

A história do lugar remonta à época romana, tendo sido encontrados objectos em cerâmica que datam do ano 5 a. C. até ao ano 70 d. C., mas foi nos séculos XIX e XX que a exploração cresceu, chegando a ter mais de 700 operários, que extraíam filões de chumbo (Pb), zinco (Zn) e prata (Ag).

Antigas Minas do Braçal, Sever do Vouga (foto de Vasco Figueiras).

Quando pensamos em minas, surge a imagem de uma área sem árvores, árida, com montes de areias e outros inertes… aqui é o oposto.

A floresta tomou para si esta área, trepou, invadiu e destruiu quase tudo, restam algumas paredes que nos transportam para um cenário bucólico. Tentando descrever, porque nem as fotografias fazem justiça à beleza do lugar: uma flora luxuriante, uma floresta crescida e abundante, fetos e musgos que pintam o leito do rio de tons de verde, e as construções esmagadoras e belas.

Parte do rio Mau encontra-se canalizado em túneis artificiais de pedra e cimento, construídos pelo homem.

No entanto, o estado das estruturas é cada vez mais triste, as acácias proliferam junto às construções, os eucaliptos aproximam-se, os muros de bucho morrem, mais alguns telhados e paredes caem, os túneis são destruídos como o túnel do rio que começou a desabar. Atenção – quem lá for tem de ter cautela.

Antigo posto de desnatação (foto de Vasco Figueiras).

Posto de desnatação da Cooperativa Agrícola Vale do Vouga

Sever do Vouga é a capital nacional do Mirtilo, mas já foi uma das capitais do Leite.

A produção de laticíonios como indústria chegou a Sever do Vouga ainda no século XIX, e foi neste território que há quase 100 anos surgiram as primeiras cooperativas de produtores do nosso país.

Durante décadas, em cada uma das nossas aldeias, existiu um posto semelhante a este. Após o ritual diário de ordenhar (ou mungir, ou muger – era assim que eu conhecia) as vacas, as meninas e as senhoras transportavam para aqui as grandes latas com vários litros de leite, e também era nestes locais que de manhã e ao entardecer aconteciam belos momentos de convívio.

Estes edifícios têm sido destruídos porque as estradas precisam ser alargadas, as pedras aproveitadas… Mas também o tempo, a chuva e o sol… e é assim que este património se vai perdendo. Este é um edifício singelo que se ergue num lugar belo, central aos lugares da “serra do Couto”, Coval, Cerqueira, Cercal (de Arões) e Mouta, que histórias nos pode contar?

Acompanhe e partilhe deste desafio pessoal de conhecer melhor o nosso concelho, o gosto amador pela fotografia, por estes locais, pelas minhas e pelas suas histórias.

Trato cada lugar abandonado com o maior respeito na esperança de ser bem recebido, pois só assim conseguirei ter o melhor dele e me divertir. Peço-lhe que se visitar algum lugar abandonado siga as regras, não destrua, não roube, não ao grafiti ordinário, não deixe lixo, porque o universo não se esquece dos nossos actos.

* O autor dá a conhecer estes e outros locais abandonados em Sever do Vouga em https://www.facebook.com/vasco.figueiras

Publicidade, Serviços & Donativos