GNR detetou quase 50 quilos de meixão em exploração ilegal

884
Apreensão de meixão pela GNR.
Smartfire 728×90 – 1

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR anunciou a apreensão, na localidade de Aveiro, de 46 quilos de meixão (enguia na fase larvar), com um valor estimado de 23 mil euros no mercado nacional, embora podendo atingir valores de 345 mil euros nos mercados europeus e asiáticos.

A apreensão resultou de uma ação de fiscalização a um estabelecimento de exploração de culturas marinhas, em que foram detetados tanques com meixão, equipados com sistema de oxigenação de água para manter os espécimes vivos, refere um comunicado

Segundo a Guarda, o responsável da exploração, um homem com 51 anos, não apresentou qualquer documento que comprovasse a origem legal do meixão, tendo o mesmo sido apreendido, bem como o diverso equipamento de manutenção.

Foi elaborado um auto de notícia para o Tribunal da Comarca do Baixo Vouga, Aveiro, pelo crime de danos contra a natureza.

Sendo o meixão uma espécie protegida, o seu transporte e detenção carece de um certificado de acompanhamento CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem ameaçadas de Extinção) e de registo obrigatório no Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

A GNR lembra que a enguia europeia, que na fase larvar é conhecida por meixão, é uma espécie considerada em perigo e tem sofrido grande redução no número de efetivos em razão da pesca ilegal, o que impede o normal ciclo de reprodução, colocando em causa a sua sustentabilidade.

Publicidade, Serviços & Donativos