Futebol distrital / Beira-Mar: Mais tempo para preparar a festa da subida

971
Imagem SC Beira-Mar.
Smartfire 728×90 – 1

O Beira-Mar sofreu para consumar a reviravolta perante um aguerrido Alba (3-2) em partida da 28ª jornada do campeonato de elite da Associação de Futebol de Aveiro e teve de adiar a festa do título por força da vitória do Bustelo na receção ao Alvarenga (2-1).

Ficha e vídeo

Os locais entraram ‘a todo gás’, criando rapidamente oportunidades para inaugurar o marcador. Logo ao segundo minuto, Diego falhou por pouco uma ’emenda’ na pequena área. Aparício, de ‘pontapé de bicicleta’, também levou a bola a sair junto ao poste.

Os visitantes chegaram ao primeiro ao golo contra a corrente num canto direto de Bruno Ribeiro, com cerca de 20 minutos de jogo. O ex-aurinegro tinha avisado, pouco antes, de livre direto, obrigando Maringá a um ‘golpe de rins’ para canto.

O Beira-Mar continuou a criar perigo em sucessivos lances de ataque. Mas ou faltava pontaria na hora da verdade ou a defesa do Alba evitava o pior, com destaque especial para o guarda-redes Carvalheira, dos melhores em campo.

A saída do experiente central Bruno Resende, por lesão, desestabilizou o último reduto forasteiro nos minutos finais da primeira parte.

Numa combinação à entrada da área entre Aparício e Artur este devolveu a bola ao médio que atirou para o fundo da baliza, repondo a igualdade. Artur, mesmo ao ‘cair do pano’, ainda viu o poste negar o 2-1.

Vando saltou do banco para a reviravolta

Na segunda parte, o Beira-Mar continuaria a ‘mandar’ no jogo, mas o Alba voltou a gelar os adeptos da casa.

Mais um canto de Bruno Ribeiro, da direita, a colocar a bola ao primeiro poste onde João Pedro tinha cabeça no sítio certo, colocando os visitantes novamente em vantagem.

O treinador do Beira-Mar não esperou mais e Vando entrou para inverter o rumo dos acontecimentos.

Aos 66 minutos, Rodrigo viu um golo anulado por pretensa ‘carga’ sobre o guarda-redes, com quem manteve um interesse duelo.

Pouco depois, o Alba sofreu novo revés ao ficar reduzido a dez por vermelho direto mostrado a Duarte devido a falta.

Ainda assim, o veloz Ricardinho rondou com perigo a baliza aurinegra, mas Maringá estava atento.

Do lado contrário, Carvalheira somava mais uma boa defesa, desviando para fora um remate de Artur.

O experiente médio aveirense apontou o canto da esquerda para o cabeceamento de Vando que valeu o empate.

Rodrigo, melhor marcador dos aveirenses, continuaria a ver Carvalheira levar a melhor, anulando mais dois cabeceamentos com perigo.

Já Vando voltaria a ser feliz na sequência de um canto da direita, ‘bisando’ de cabeça em grande estilo.

Nas compensações, Maringá ainda viu um cartão vermelho por entrada a pés juntos, já fora da grande área, quando Simão poderia ganhar uma bola isolado.

O Beira-Mar lidera com 73 pontos, mais 16 que o Bustelo que, ao vencer em casa o Alvarenga, evitou a aproximação do São João de Ver ao segundo lugar. A festa aurinegra poderá acontecer na deslocação a Carregosa, faltando dois pontos.

Resultados e classificação em https://www.zerozero.pt/edition.php?id_edicao=126251

Declarações

“Tivemos possibilidades de ganhar. Jogámos com menos um, a expulsão deixa-me dúvidas. Vimos entradas piores. As lesões de Resende e João Paulo obrigaram a mexer, sofremos golos com menos um jogador, mesmo assim Ricardinho poderia ter feito o 1-3. Em 11 para 11, sem percalços, se fossemos tratados de forma igual, teríamos vencido” – Hugo Oliveira, treinador do Alba.

“Quem trabalha desta forma merece vencer. Mas deveria ter sido por diferença maior. Houve alguma ansiedade, de conseguirmos hoje a subida. O jogo esteve em aberto até fim. Este grupo luta sempre até ao fim para as bolas entrarem. É uma vitória inteiramente justa, mas o jogo poderia ter sido resolvido mais cedo” – Cajó, treinador do Beira-Mar.

Publicidade, Serviços & Donativos