Espanhol apanhado com cinco quilos de droga diz que apenas fazia o transporte

2515
Tribunal de Aveiro.

Um cidadão espanhol de 29 anos, residente na zona de Sevilha, confessou, esta terça-feira, no Tribunal de Aveiro o envolvimento em tráfico de droga, embora garantindo que se limitava a ser o transportador e era pago por um cunhado do qual, entretanto, perdeu contato.

O arguido, que está detido preventivamente, foi apanhado a 24 de outubro do ano passado, pouco antes da meia noite, na Auto-estrada do Norte (A1), junto a Estarreja, quando vinha do Algarve, alegadadamente rumo à cidade do Porto, com 18 embalagens plásticas na bagageira contendo canábis e liamba, totalizando 5,150 quilos.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), agentes da PSP em trânsito pararam junto da viatura do indivíduo que estava imobilizada na berma. Ao fazerem a abordagem estranharam o “forte odor” do interior, que um dos policias relacionou com droga, o que se viria a confirmar.

No seu depoimento, o arguido alegou que ficou sem gasolina e, a conselho do cunhado, com quem estava em contato por telemóvel, retirou o produto estufaciente do veículo que ficou escondido a cerca de 100 metros, por recear ser apanhado, contrariando, assim, a acusação.

O julgamento vai prosseguir na próxima sessão de audiência com os agentes da PSP que detetaram a carga de droga.

O arguido alegou que era apenas a segunda vez que se deslocava a Portugal (a anterior teria servido para ir buscar dinheiro ao Porto, também a pedido do cunhado). Mas a investigação detetou nos meses de agosto e setembro de 2019 várias viagens em território nacional da mesma viatura. Confrontado pela Procuradora do MP, o homem disse que era comum, na mesma altura, emprestar o carro ao cunhado, do qual garante ter perdido o rasto.

Além dos cinco quilos de droga, a polícia apreendeu 150 euros em dinheiro e dois telemóveis.

O indivíduo garantiu que não vivia do tráfico, trabalhando em Espanha numa cadeia de ‘fast food’, mas aceitou o pedido do cunhado devido a dificuldades financeiras que enfrentava por ‘estar de baixa’, uma vez que tem problemas do foro psiquiátrico, estando a ser acompanhado desde que foi detido.

Publicidade, Serviços & Donativos