Eficácia beiramarense em noite de serviços quase mínimos derrotou Vista Alegre afoito

1122
Beira-Mar - Vista Alegre.
Dreamweb 728×90 – Video I

O Beira-Mar regressou às vitórias no jogo de acerto de calendário com o Vista Alegre (2-0), disputado esta quarta-feira à noite, após dois empates, e alargou para nove pontos a vantagem sobre o Bustelo, segundo classificado.

Ficha e vídeo

Os locais apresentaram um onze com várias mexidas, fruto de ‘poupanças’ com o treinador Cajó já a pensar na deslocação a Alvarenga, que tiraram rotinas à equipa. Artur voltou a ‘reinar’ na linha avançada, enquanto o médio Rui Sampaio teve a sua estreia a titular.

O Vista Alegre, envolvido na lupa pela manutenção, acabou por surpreender, sobretudo na primeira parte, em que até conseguiu um pouco mais do que equilibrar, mostrando que o ciclo anterior de três empates não é fruto do acaso e ainda tem uma palavra a dizer na segunda volta.

O guardião Wanzeler esteve bem, aos 14 minutos, a defender um remate perigoso de Artur, na resposta a um ataque que pôs o último reduto do lado contrário ‘em sentido’.

Apesar da boa réplica dos visitantes, especialmente pela ala direita (as incursões de Dani e Nassur para assistir na frente Fazzio deram muito trabalho), o Beira-Mar acabaria por justificar o golo de vantagem obtido pouco antes do intervalo. Mérito para o cruzamento bem medido de Artur, a que Bruno Henrique, também de regresso à titularidade, correspondeu com um cabeceamento de cima para baixo. Uma das poucas ocasiões em que a defesa forasteira deixou-se bater.

O mau estado do relvado, devido à chuva, obrigou a maior desgaste dos jogadores na segunda parte.

O Vista Alegre veio com vontade de chegar ao golo. Um livre de Danilo obrigaria Maringá a defesa apertada para canto, na sequência do qual o ponta de lança Óscar, de cabeça, voltaria a causar perigo.

O Beira-Mar acabaria por travar o ímpeto dos visitantes ao ampliar a vantagem aos 65 minutos. André Nogueira, numa arrancada pela direita, desmarcou Mathieu, colocado em campo pouco antes, que ‘picou’ a bola, sem dar hipótese. O ‘suspense’ instalado esvaziou-se de sentido.

Vando, que também saltou do banco, poderia ter feito o 3-0, quando aproveitou uma escorregadela, mas o remate, ‘a frio’, saiu defeituoso.

Algo semelhante aconteceu do lado contrário, quando o guarda-redes Maringá permitiu a Mário Lopes recuperar a bola na área, mas o avançado não conseguiu melhor do que ganhar o canto.

Sem deslumbrar, o Beira-Mar revelou eficácia nas oportunidades de maior perigo que soube criar, o que não sucedeu nas duas jornadas anteriores.

Declarações dos treinadores

“Fomos sempre perigosos, hoje experimentei algumas coisas, ganhámos algo mais. O caminho faz-se com vitórias, jogo a jogo. Em termos físicos, esta sucessão de jogos, em terrenos pesados, torna-se difícil. Gerimos jogadores para chegar a Alvarenga e ganhar” – Cajó, treinador do Beira-Mar.

“Fizemos uma primeira parte muito competitiva, a procurar os pontos em disputa, organizados no contra ataque. Estávamos a ser melhores. O golo veio em má altura. Depois do intervalo, ainda tivemos aquele cruzamento remate do Danilo, mas complicou-se com o segundo golo. O Beira-Mar passou a controlar mais, deixou-nos ofegantes. Demonstrámos qualidade, vamos lutar a cada jogo” – Rui Valente, treinador Vista Alegre.

Resultados e classificação em https://afatv.pt/classificacao/24