Desempregados regressam à escola para aprender ofício de técnico de multimédia

233
Curso de técnico de multimédia, Águeda.
Smartfire 728×90 – 1

Quatro formandos, licenciados e mestres, frequentam o curso de Técnico de Multimédia, no Centro de Formação Profissional de Águeda, desde abril de 2018.

Daniela Oliveira, de Recardães, tem 25 anos. Licenciada em Gerontologia e mestre em gestão de equipamentos sociais, a sua experiência profissional resume-se a um estágio profissional. No centro de formação, descobriu que a multimédia a faz mais feliz do que a gerontologia.

Alexandra Calhau, de Vagos, 25 anos, tem uma preocupação constante: o empréstimo bancário que contraiu para pagar os estudos – uma licenciatura em Comunicação e Design Multimédia.

Nuno Almeida, de Oliveira do Bairro (30 anos). A licenciatura em Línguas e Estudos Editoriais e o mestrado em Estudos Editoriais não lhe abriu portas no mercado de trabalho.

Luís Cardoso, de Águeda, de 45 anos e vive com a esposa e quatro filhos. É licenciado em Engenharia Informática e já esteve várias vezes desempregado.

Os projetos finais do curso são apresentados esta quinta-feira. Durante um ano, 12 formandos, com idades compreendidas entre os 19 e os 44 anos e escolaridade entre o 12º ano e o Mestrado, “trabalharam de modo a adquirirem conhecimento e competências que lhes permitem apresentar projetos ajustados aos contextos reais de trabalho.”

O “regresso à escola” para formação profissional retratado nesta reportagem da autoria de Sílvia Torres demonstra que o desemprego também tem um lado positivo.