Complexo químico de Estarreja na mira de projetos para a produção de hidrogénio

5340
Bondalti, Estarreja.

A Bondalti Chemicals, S.A. apresentou a sua manifestação de interesse de investimento na fileira industrial do hidrogénio com o projeto “H2Enable – The Hydrogen Way for Our Chemical Future” ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática, que avançou com uma consulta ao mercado, depois do projeto de produção de ‘hidrogénio verde’ de Sines ter suscitado interesse às empresas do setor da energia.

Segundo o Governo, a auscultação foi criada para “robustecer a candidatura portuguesa ao ‘Important Project of Common European Interest’ e para incentivar sinergias a nível de cluster industrial.”

O convite destinou-se a empresas ou entidades portuguesas ou europeias cujos projetos se traduzissem num valor acrescentado para o país, nomeadamente por via do estabelecimento em Portugal e da criação de emprego, e na redução de emissões de dióxido de carbono equivalente associada aos projetos.”

A proposta da Bondalti Chemicals

O projeto ‘H2Enable – The Hydrogen Way for Our Chemical Future’, apresentado pela Bondalti Chemicals, empresa com instalações fabris em Estarreja, afirma-se como “um passo verdadeiramente transformacional e inovador visando revolucionar os modelos de negócio atuais, a natureza do site químico de Estarreja e todo o contexto envolvente, criando um núcleo de referência na economia do hidrogénio verde e do amoníaco verde, estimulando a descarbonização e o upgrade da indústria química nacional.”

» Abrangência transversal à cadeia de valor do hidrogénio com foco na produção de hidrogénio verde e amoníaco verde para fins industriais e para um conjunto alargado de outros utilizadores. Prevê-se que a implementação do projeto se prolongue até 2040.”

» O ‘H2Enable” visa impulsionar um processo transformacional da indústria química nacional, dando um importante contributo para os desígnios nacionais e europeus da descarbonização e da re-industrialização assentando em tecnologias avançadas, inteligentes e eficientes, baixo impacto ambiental, orientação para produtos mais qualificados e de maior valor acrescentado e princípios de circularidade.

» A proposta do consórcio na área química instalada em Estarreja prevê a criação entre 55 e 70 novos postos de trabalho diretos, evoluindo progressivamente do primeiro valor para o segundo à medida que vai avançando nas fases previstas do mesmo. Paralelamente, o projeto deverá gerar a criação de aproximadamente 271 empregos indiretos, considerando as relações constantes na matriz input-output existentes para o ramo da indústria química.

» Foram recebidas, além da proposta da Bondalti Chemicals, S.A, mais 73 intenções de investimento na fileira industrial do hidrogénio, no montante de 16 mil milhões de euros, o equivalente a 7,5% do PIB português, revelou a tutela.

Discurso direto

“As décadas de experiência do Complexo Químico, confere-lhe o mote para ser também líder na industria limpa e sustentável. Mesmo com o futuro ainda incerto, o hidrogénio é já tido como uma “fonte de energia que se vai revelando solução cada vez mais viável. Vejo neste projeto a necessária determinação e arrojo e, claro, com ele o desenvolvimento do nosso Concelho e Região” – Diamantino Sabina, presidente da autarquia estarrejense.

Artigo relacionado

Concurso do hidrogénio: Estarreja em destaque entre as 74 candidaturas de investimento

Publicidade, Serviços & Donativos