CHBV e ACeS colaboram no rastreio do cancro da laringe

1005
Hospital de Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

O Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) passou a colaborar com o Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) do Baixo Vouga para incrementar o rastreio do cancro da laringe.

Os médicos de família podem referenciar para uma primeira consulta, os utentes com fatores de risco, por isso mais suscetíveis de desenvolver uma neoplasia da laringe.

O CHBV compromete-se, por seu lado, “a responder, com brevidade, a estes pedidos e a realizar os respetivos rastreios que, no caso específico desta patologia, podem fazer a diferença.”

Segundo uma iniciativa de imprensa hospitalar, a iniciativa partiu do Serviço de Otorrinolaringologia (ORL) do CHBV que se reorganizou nos últimos anos “no sentido de reduzir os tempos de espera para consultas de especialidade”.

Em 2019, foi criado em Aveiro o ‘Laboratório da Voz’, considerado único na Região Centro, que está equipado de forma a garantir aos utentes “o melhor tratamento – preventivo e curativo – da voz e dos sistemas que lhe estão associados.”

Estima-se que em Portugal, surjam, todos os anos, 1.000 novos casos de cancro da laringe, uma doença tratável desde que precocemente diagnosticada.

CHBV e ACeS esperam, assim, criar “uma ponte mais fluída” para garantir o acompanhamento deste tipo de pacientes.

Aproveitando o Dia Mundial da Voz, que se celebra a 16 de abril, o Serviço de Otorrinolaringologia relembra os utentes com fatores de risco que devem conversar com o seu médico de família de modo a avaliar uma eventual consulta/ rastreio.

O principal fator de risco para o cancro da laringe é o consumo de tabaco associado ou não ao consumo moderado de bebidas alcoólicas.

Sintomas / patologias da laringe:
Disfonia (rouquidão), que se mantém por mais de 2 semanas;
Sensação de aperto ou corpo estranho;
Dor de garganta persistente ou dificuldade em deglutir (engolir);
Tosse persistente;
Dificuldade em respirar;
Mudança de Voz (muitas vezes, só detetada por terceiros)

Conselhos:

Não fumar;
Moderar a ingestão de bebidas alcoólicas;
Evitar esforços e tensões vocais, tais como, gritar, falar em ambientes ruidosos ou muito depressa, cantar sem técnica, pigarrear ou posturas incorretas;
Evitar a ingestão de bebidas frias ou muito quentes;
Ter uma alimentação saudável (não abusar dos citrinos, dos alimentos gordurosos, dos fritos, do chocolate, entre outros, pois podem provocar ou agravar o refluxo);
Não comer, nem beber imediatamente antes de ir para a cama);
Beber água regularmente (5 a 6 copos por dia);
Evitar mudanças bruscas da temperatura, ambientes com ar condicionado, seco ou poluído;
Praticar exercício físico regularmente, principalmente exercícios de relaxamento.

Publicidade, Serviços & Donativos