Carregosense não deixou Beira-Mar adormecer

940
Beira-Mar - Carregosa.

O Beira-Mar saiu vitorioso pelo nono jogo consecutivo na receção ao aguerrido Carregosense (2-1), sem perder terreno na liderança do principal campeonato distrital de futebol, agora com 31 pontos, em partida antecipada da jornada 12 disputada este sábado.

Ficha e vídeo

Apesar de um período inicial em que os visitantes mediram forças de igual para igual, e até com algum arrojo atacante, a equipa da casa, com o seu onze mais habitual, acabaria por desequilibrar, fazendo valer, ao intervalo, a sua qualidade. No regresso do descanso, o golo visitante colocou alguma incerteza no rumo dos acontecimentos até ao apito final.

Um cabeceamento, ao lado, de Diego, aos 18 minutos, foi o primeiro aviso, ainda que inofensivo dos locais, que pouco depois colocaram-se mesmo em vantagem. Um passe oportuno de Ricardo Gomes permitiu a desmarcação de Artur que, na grande área, finalizou junto ao poste mais distante.

Ao passar da meia hora, Mino impediu o segundo com uma defesa apertada, após remate cruzado, de fora da área, de Mathieu.

O guarda-redes visitante voltaria a ter uma intervenção de recurso aos 40 minutos, mas Ricardo Gomes não desperdiçou o ressalto, aumentando a vantagem que espelhava melhor o domínio dos aurinegros.

Ainda assim, o aflito Carregosense, que conta com o experiente Carlos Manuel de regresso ao comando técnico, conseguiria criar perigo. Na sequência de um livre, Sousa surgiu liberto, mas Maringá interceptou o cabeceamento sem probemas de maior.

O resultado ao intervalo fazia antever um Beira-Mar à vontade para gerir o rumo dos acontecimentos na segunda parte, só que o Carregosense não poderia ter entrado melhor, conseguindo reduzir. Um golo que surgiu após livre apontado do meio campo para a pequena área, onde Rosas saltou mais alto e assistiu de cabeça Napoleão, que fez gesto idêntico para o fundo da baliza, com a defesa da casa, uma vez mais, a facilitar nas marcações.

Logo na resposta, Ricardo Gomes quase surpreendia Mino, com um remate a sair junto à trave. Depois foi Artur, de livre direto, a tirar tinta ao poste. Faltava eficácia para resolver o jogo sem mais delongas.

Do lado contrário, a equipa de Carregosa não baixava os braços em busca do golo. Num canto da direita, Denis poderia ter feito melhor, após defesa incompleta de Maringá.

Continuava por parte do Beira-Mar o ‘tiro ao alvo’. Aparicio, num atraso de Artur, rematou junto ao poste.

O último reduto da casa voltaria a complicar, ao cometer livre perigoso na meia lua, convertido sem causar danos.

Mesmo ao ‘cair do pano’, Rodrigo, bem posicionado, também entrou nos lances em que o Beira-Mar esteve quase a chegar ao terceiro golo, com um desvio próximo da baliza.

Declarações

“Entrámos bem, penas os erros da primeira parte. O Beira-Mar foi muito eficaz. Acreditámos quando surgiu o golo. O Beira-Mar teve mais posse de bola, mas só criou perigo quando procurávamos o segundo golo. Nos últimos minutos, até os apanha bolas desapareceram. Demonstramos que podemos recuperar desta má fase” – Carlos Manuel, treinador do Carregosense.

“Sentimos algumas dificuldades no início do jogo, mas controlámos, criámos situações de golo e marcámos dois. Na segunda parte não estivemos ao nosso nível, sem razões aparentes. Ficámos intranquilos perante o jogo direto do Carregosense, Foram assinaladas muitas faltas contra nós, não fazia sentido. Acabámos por justificar a vitória, mas não fiquei satisfeito com a segunda parte” – Cajó, treinador do Beira-Mar.