Beira-Mar entra a vencer com primeira parte infernal

1029
Festejos do golo de Aparício (foto Facebook do Beira-Mar).

O Beira-Mar manteve a veia goleadora ao vencer, este domingo à tarde, em Aveiro, o Alvarenga (4-2) no arranque do campeonato de elite distrital de futebol, com uma primeira parte muito emotiva (cinco golos apontados em 19 minutos!).

Ficha do jogo | Vídeo

O mesmo resultado alcançado há oito dias pela equipa aveirense quando surpreendeu em Vildemoinhos a equipa local, na primeira eliminatória da Taça de Portugal.

Esta tarde, o treinador aurinegro Cajó repetiu o onze inicial perante um adversário praticamente desconhecido, por força do arranque tardio e das especificidades do clube, que funciona como entreposto de jogadores, nomeadamente brasileiros, que chegam em busca do ‘el dorado’.

Ao minuto e meio de jogo um desvio de cabeça atribuído a Letz após livre de Alex, colocou o Beira-Mar na frente do marcador, mas a receção ao Alvarenga não seria o passeio do domingo anterior.

Os forasteiros empataram a ´papel químico’ numa finalização do avançado Wallace.

As defesas continuariam a ‘meter água’. No 2-1, aos 13 minutos, Mathieu cabeceou com a baliza à mercê, após canto apontado da direita.

O Beira-Mar estava com eficácia nas bolas paradas, tinha maior domínio, mas o Alvarenga não deixava de atacar e voltaria a igualar o marcador, num remate de fora da área de Stefan que tabelou num defesa para desespero do guardião Maringá.

Bruno Henrique, num cabeceamento em queda, levou a bola à trave mas no ataque seguinte o brasileiro chegou mesmo ao golo, num remate à entrada da área.

Até ao final da primeira parte, repetiram-se lances de ataque do Beira-Mar, em grande medida a reboque da dupla Artur e Alex, mas a vantagem não foi alargada muito por mérito do guardião Reis.

Depois o Beira-Mar veio demasiado relaxado do intervalo, apesar do resultado perigoso, e o Alvarenga ganhou mais confiança, acabando por mostrar qualidades, sobretudo no plano ofensivo, embora sem oportunidades flagrantes.

Até que o até então muito apagado Aparício aproveitou uma ‘segunda bola’ que lhe parou aos pés (alívio defensivo após remate à ‘queima roupa’ de Lobo) e devolveu à baliza sem hipótese de defesa. O golo de belo efeito alcançado aos 71 minutos sentenciou a partida que se arrastaria sem motivos de interesse até ao fim.

Declarações

“O jogo fica marcado pelos nossos erros individuais na primeira parte, nas bolas paradas. Tivemos uma resposta positiva, olhos nos olhos perante uma das principais equipas, com as linhas altas. Temos uma equipa em construção. Valeu pela atitude demonstrada” – Pedro Costa, treinador do Alvarenga

“Fizemos um bom jogo, só hoje pude conhecer o adversário. Criámos inúmeras situações de golo, marcámos quatro, mas podiam ter sido mais. Sofremos dois golos, uma desconcentração e um infortúnio, que desfez a vantagem. Na segunda parte quisemos controlar e marcar mais, o que aconteceu. Era importante começar bem. Temos de ser mais fortes na defesa” – Cajó, treinador do Beira-Mar.

Resultados da 1ª jornada