BE volta a denunciar excesso de lotação na Linha do Vouga

617
Linha do Vouga (Aveiro Norte).
Smartfire 728×90 – 1

O Bloco de Esquerda (BE) exige ao Governo que tome medidas para evitar “a sobrelotação nos comboios na Linha do Vouga”.

Uma situação “preocupante” que já motivou alertas feitos no verão passado. Agora “em plena pandemia”, torna-se “ainda mais incompreensível como é que nada é feito”, criticam os bloquistas uma vez que “infelizmente” persistem “transportes públicos sobrelotados, colocando assim em risco a saúde dos utilizadores.”

Segundo o Bloco, os comboios que circulam na linha do Vouga, entre Oliveira de Azeméis e Espinho, “para além da dificuldade em cumprir os horários, chegando a ter atrasos de cerca de uma hora, circulam sobrelotados e sem a possibilidade de garantir distanciamento físico entre os passageiros.”

O que está “a criar muitos transtornos juntos dos passageiros, maioritariamente jovens, que durante a altura das férias de verão utilizam o ‘Vouguinha’ para se dirigirem à praia.”

Uma situação que o BE considera “no mínimo estranha, quase bizarra, e bastante reveladora da forma descuidada como esta linha está a ser gerida.”

Ao atravessar concelhos como Espinho, Santa Maria da Feira, Oliveira de Azeméis, Albergaria a Velha, Águeda e Aveiro (estes dois a partir da ligação efetuada em Sernada do Vouga), esta linha ferroviária serve potencialmente uma população de mais de 410 mil pessoas.

“Em plena pandemia não podemos continuar a assistir impávidos e serenos à inoperância da CP e do Governo”, referem os bloquistas que remeteram um novo requerimento pedindo medidas urgentes.

Publicidade, Serviços & Donativos