Aveiro: Adjudicadas obras de qualificação da Rua João Francisco Casal e nova rotunda na EN109

2793
Antiga EN 109, Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

A obra de qualificação da Rua João Francisco Casal, lançada no âmbito da Área de Atividades Económicas (AAE) – Aveiro Norte (Zona Industrial da Taboeira), foi adjudicada ontem pela Câmara de Aveiro por 397.500 euros, mais IVA.

“Tratando-se de um importante eixo de ligação entre a malha viária urbana, a antiga EN 109 e a AAE – Aveiro Norte, o projeto prevê a substituição do pavimento, a inclusão de passeios em toda a sua extensão e em ambas as margens da via, a qualificação e ampliação das áreas de estacionamento, e a substituição da sinalização vertical e horizontal”, explica uma nota de imprensa.

O projeto prevê ainda “a criação de um corredor ciclável diferenciado, sendo que na maior parte da sua extensão será um corredor partilhado entre peões e ciclistas, além da criação de novas zonas de estacionamento de automóveis, de motociclos e de pessoas com mobilidade reduzida.”

Uma zona de potencial risco ao nível dos incêndios, o que será acautelado com uma nova rede de distribuição de água para combate a chamas.

O processo segue para visto do Tribunal de Contas (TC).

O executivo adjudicou na sua reunião privada também a construção da rotunda do ‘Solar das Estátuas’, na antiga EN 109 por 388.032 euros (+ IVA).

A obra deve-se à “necessidade de resolver um dos pontos negros da rede viária municipal, garantindo a boa sustentabilidade das acessibilidades” à AAE – Aveiro Norte , à antiga EN019 e ao centro de Esgueira. Permitirá, ainda, “assegurar o reordenamento e a segurança do tráfego rodoviário e de peões.”

Segundo a edilidade, esta empreitada permite a qualificação de dois entroncamentos presentes na área e organizar o espaço desqualificado que serve o Colégio Português, o Restaurante Solar das Estátuas e a plataforma logística da MEO.

“Esta operação faz parte do processo global de renovação e reabilitação da antiga EN 109, futura Avenida Europa, iniciada no último mandato autárquico”.

A entrada em obra depende apenas do visto do Tribunal de Contas.

Publicidade, Serviços & Donativos