Aveiro: “A mesma fé nos valores da liberdade, um 25 de abril mais intimista”

1961
Edifício da Assembleia Municipal de Aveiro.

Os presidentes da Assembleia Municipal e da Câmara de Aveiro assinam uma mensagem evocativa do 25 de Abril a explicar que este ano não haverá eventos comemorativos locais atendendo à situação pandémica, aproveitando para lembrar as mortes ocorridas e reconhecer os que estão na primeira linha da assistência às pessoas.

“Com a mesma fé nos valores da liberdade, neste ano de 2020 comemoramos o 25 de abril de forma mais intimista, cada um no seu espaço e com os seus, respeitando o confinamento que nos impõe a situação da grave crise de saúde pública mundial e o estado de emergência que vivemos em Portugal”, explicam Luís Souto e Ribau Esteves.

Segundo os autarcas eleitos pela coligação PSD-CDS-PPM, “este é em primeiro lugar um tempo de combate contra a pandemia do Covid-19, um tempo de união de esforços para que possamos ganhar esta dura luta pela vida, um tempo também de preito de homenagem a todos os nossos conterrâneos que partiram e a hora do conforto às suas famílias.”

Aveiro era, segundo o último ponto de situação da autoridade de saúde, o segundo concelho do Baixo Vouga em número de infetados (315) e mortes (25).

Os presidentes dos orgãos autárquicos sublinham que “é tempo de reconhecer e agradecer a dedicação de todos os que nas mais diversas áreas têm garantido o funcionamento do sistema de saúde, dos abastecimentos, da segurança, dos serviços públicos e privados, os serviços municipais e das freguesias, da atividade económica, da comunicação social, na certeza que não podemos mesmo parar para estarmos presentes e a crescer no próximo futuro.”

Na evocação dos 46 anos da revolução militar que ditou o fim do Estado Novo, Luis Miranda e Ribau Esteves lembram que “o importante é afirmar a esperança de que com o empenhamento de todos vamos vencer esta pandemia e um dia destes, como cantava o aveirense José Afonso, ‘avisar a malta’, trazer um amigo para a festa e voltar a respirar bem fundo e já sem máscara, o perfumado odor dos cravos e a maresia do Nosso Mar e da Nossa Ria de Aveiro.”

Ler mensagem completa evocativa do 25 de abril

Publicidade, Serviços & Donativos