Anadia: Autarquia pede salvaguarda do património da Estação Vitivinícola da Bairrada

349
Estação Vitivinícola da Bairrada.
Dreamweb 728×90 – Video I

A presidente da Câmara de Anadia aproveitou a inauguração 16ª edição da Feira da Vinha e do Vinho de Anadia para pedir uma intervenção de salvaguarda do edifício da Estação Vitivinícola da Bairrada.

Maria Teresa Cardoso deu conta da importância da realização do evento “onde se faz jus aos vinhos e aos espumantes que nos diferenciam e que cada vez mais se impõem na marca Bairrada, dignificando os nossos concelhos, a região e o país”.

Aproveitando a presença do Diretor Regional da DRAPC, a autarca deixou alguns “alertas” sobre o estado em que se encontra a Estação Vitivinícola da Bairrada, cujo edifício e zona envolvente “precisam de intervenção”.

“Este laboratório de conhecimento e de experiências com mais de 125 anos precisa de recuperação no edificado, mas também de reforço de humanização e de serviços técnicos e operacionais que o coloquem ao serviço da região e do país na prestação de serviços de apoio ao sector vitivinícola, de apoio aos produtores, de apoio aos agentes do sector com a inovação e o conhecimento científico que se impõe neste sector, de diferenças no produto e na qualidade que se alcança, e na concorrência que se deve pautar cada vez mais pela excelência” afirmou a edil.

A presidente da Câmara destacou ainda a vertente ambiental introduzida no Certame à qual ninguém deverá ficar indiferente, com a utilização de copos reciclados, as papeleiras inteligentes e os bebedouros. “Mais lixo reciclado, maior será o contributo que iremos prestar aos Bombeiros Voluntários de Anadia”, pois, “a esta Associação será entregue o valor monetário que daí resultar”.

“Evento importantíssimo para a região”

O Diretor Regional da Agricultura e Pecas do Centro (DRAPC), Fernando Martins, sublinhou que o certame “é um evento importantíssimo para a região e para os produtores”, considerando que esta iniciativa, promovida pela Câmara de Anadia, “é sempre bem-vinda”, pois, “dão notoriedade a um produto que tem um peso considerável na economia local”.

Já o presidente do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), Bernardo Gouveia, referiu que esta Feira “é assinalável, porque mostra toda a atividade económica do concelho e da região”, tendo como ponto central a vinha e o vinho que “são realidades que unem o território, dão coesão às comunidades, fazem parte da nossa história e cultura”.

Bernardo Gouveia adiantou que a “região cresceu o ano passado mais de 20 por cento”, em termos de vinhos certificados e, ao nível das vendas do mercado nacional, “mais de 26 por cento”.

No seu entender, isto mostra “o dinamismo” ao nível dos produtores e dos viticultores. No que respeita a atribuição de novas plantações, no último ano, “tivemos cerca de 40 candidatos”.

Considerou ainda que a região tem “um capital enormíssimo de desenvolvimento na exploração do que é a diferenciação e as caraterísticas únicas da casta Baga” e no que “é o desenvolvimento da indústria de espumante e da sua expansão”, tendo realçado que “70 por cento do espumante produzido na região é DOC – Denominação de Origem Controlada”.

Até ao próximo domingo, dia 30, há muita animação para ver na Festa da Vinha e do Vinho.

Mais informações em http://cm-anadia.pt/destaques/1215-feira-da-vinha-e-do-vinho-2019

Publicidade, Serviços & Donativos