Águeda: Conselho Municipal de Segurança toma posse e realiza primeira reunião

721
Fermentelos, Águeda.
Dreamweb 728×90 – Video I

O Conselho Municipal de Segurança (CMS), que agrega um conjunto de 23 entidades, desde a educação, ação social, forças de segurança, Ministério Público, a órgãos de decisão política, num total de 23 membros, tomou posse, num cerimónia no Salão Nobre da Câmara de Águeda.

“Todos estas entidades que estão no terreno estão atentas e vigilantes, com a disposição de fazermos o melhor pelas nossas populações”, salientou Jorge Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Águeda e do recém-formado CMS, frisando que, mesmo antes da constituição do CMS, este diálogo de proximidade e a colaboração, nomeadamente com as forças de segurança, é “constante e regular”.

Este Conselho irá discutir de forma regular os assuntos relacionados com a segurança na esfera municipal, bem como emitir pareceres e apresentar sugestões de intervenção. Uma equipa que “poderá sempre de ser reforçada por outras que entendamos por bem solicitar que nos ajudem”, defendeu Jorge Almeida.

Refira-se que o CMS é composto por um Conselho Alargado (com um total de 23 membros) e um Conselho Restrito (com três membros), descritos abaixo. Após a tomada de posse foi realizada a primeira reunião de instalação deste órgão municipal, onde foi aprovado o regulamento.

Objetivos do CMS

Este órgão consultivo visa contribuir para o aprofundamento do conhecimento da situação de segurança e promover a discussão sobre medidas de combate à criminalidade e à exclusão social na área do Município, podendo aprovar pareceres e solicitações, que serão remetidos às entidades relacionados com as questões de segurança e inserção social.

Formular propostas de solução para os problemas de marginalidade e segurança dos cidadãos, participar em ações de prevenção e promover a participação ativa dos cidadãos e das instituições locais na resolução dos problemas de segurança pública são outros objetivos deste CMS.

Este órgão vai ainda avaliar os números da sinistralidade rodoviária e, tendo em conta a estratégia nacional de segurança rodoviária, formular propostas para a realização de ações que possam contribuir para a redução dos números de acidentes rodoviários no concelho.

Outros indicadores e números que vão ser avaliados pelo CMS prendem-se com os dados relativos ao crime de violência doméstica, e tendo em conta os diversos instrumentos nacionais para o seu combate, designadamente os Planos Nacionais de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género, irá apresentar propostas de ações que contribuam para a prevenção e diminuição deste crime.

Para além destes objetivos, compete ao CMS emitir pareceres sobre vários temas, nomeadamente e entre outros, sobre os resultados da atividade municipal de proteção civil e de combate aos incêndios; bem como o acompanhamento e apoio das ações dirigidas, em particular, à prevenção e controlo da delinquência juvenil, à prevenção da toxicodependência e à análise da incidência social do tráfico de droga; ou ainda sobre os dados relativos à violência doméstica e sinistralidade.

Câmara de Águeda

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.