Acusado de violência doméstica exigia ser sustentado pela companheira

881
Tribunal de Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

Um mecânico de automóveis residente em Aveiro, que está acusado de maus tratos infligidos à companheira, remeteu-se esta segunda-feira ao silêncio no início do julgamento.

O arguido, de 39 anos, encontra-se atualmente a cumprir pena de cadeia por diversos processos relacionados com condução ilegal.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), o indivíduo envolvia-se frequentemente em discussões com a companheira, de quem tem uma filha menor, não aceitando que fosse chamado à atenção por não ter hábitos de trabalho, ficar em casa e ainda exigir dinheiro para satisfazer a dependência de estupefacientes.

No final de 2018, após uma discussão e agressões físicas, através do arremesso de objetos, a ofendida resolveu sair definitivamente de casa levando a filha, após uma anterior reconcliação frustrada.

O arguido não aceitou a separação e passou a enviar, reiteradamente, para a mulher mensagens intimidatórias, inclusivamente ameaças de morte, acusando-a de traição.

Chegou, também, a perseguir a ofendida de carro, quando esta estava a trabalhar a fazer ‘voltas’ de distribuição de pão por estabelecimentos. Em duas ocasiões, atravessou o seu veículo para conseguir travar a carrinha da mulher, desferindo murros nos vidros para a intimidar.

A GNR foi chamada, mas o acusado conseguiu colocar-se em fuga antes de ser intercetado.

Num derradeiro episódio, o indivíduo chegou a retirar a filha que estava aos cuidados da irmã da ofendida, enquanto esta trabalhava.

No julgamento que agora começou, o arguido responde também por um crime de resistência e coação, que está relacionado com um desentendimento a militares da GNR, sendo que o processo não tem a ver com fatos relacionados com violência doméstica.

Publicidade, Serviços & Donativos