Vagos: PS votou contra municipalização do ‘Museu do Brincar’

747
Museu do Brincar, Vagos.
Dreamweb 728×90 – Video I

O PS de Vagos divulgou as razões porque esteve contra a proposta camarária de municipalização do ‘Museu do Brincar’ aprovada pela Assembleia Municipal.

Artigo relacionado

Câmara de Vagos compra Museu do Brincar

Na declaração de voto, os eleitos socialistas referem que o custo de 265 mil euros da aquisição do acervo “não tem por base qualquer avaliação” e o “conceito de subsídio não pode ser utilizado para a aquisição de serviços”.

O PS diz, também, que “não existe um plano de ação estratégico do museu apenso que justifique e enquadre este negócio”.

A municipalização no figura no Plano Estratégico de Vagos nem está prevista no orçamento para 2022.

“Não foi feita a avaliação do espólio museológico que se propõe adquirir, que poderia ser feita por várias entidades”, refere, também, a declaração de voto.

O PS estranha, ainda, que não estejam definidos os termos em que a Grupo Cénico Arlequim, associação que integra o contrato e que é entidade beneficiária do negócio proposto, tem acesso a apoios do município relacionados com a atividade futura do Museu do Brincar.

Além disso, não existe um cadastro das cerca de 12.500 peças que a Câmara Municipal vai adquirir e do espólio de 22 mil peças existentes quais as que vão ser incluídas ou excluídas as de maior valor.

O PS faz notar que não foi tomada “qualquer decisão” no seio de executivo “sobre o futuro espaço do museu, apesar de já estar anunciado nas redes sociais do Museu do Brincar”.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.